No dia 11 de março de 2021, foi apresentado o resultado da Eneva (ENEV3) para o 4T20 e a equipe de Equity Research do BTG Pactual já realizou a análise dos dados divulgados. Confira os pontos principais.

Recuperação do despacho térmico em ano atípico

De acordo com o relatório do BTG Pactual, a Eneva (ENEV3) apresentou resultados sólidos no 4T20, com recuperação do despacho térmico e bons resultados nas plantas de gás e carvão.

Os destaques do período foram despacho térmico, geração de gás e carvão e licitação do Urucu.

No dia em que o relatório foi publicado, as ações ENEV3 estavam sendo negociadas a R$ 63,50. A capitalização de mercado era de R$ 20,04 bilhões. O volume médio dos últimos 12 meses era de R$ 96,52 milhões.

Resultado Eneva (ENEV3) para o 4T20

Sólido desempenho no último trimestre de 2020

Conforme o relatório do BTG Pactual, a Eneva apresentou resultados sólidos no 4T20, com destaque para o resultado operacional da companhia.

A companhia encerrou o ano de 2020 fortalecida, reportando mais um ano robusto de resultados, com geração recorde de receita e lucro líquido, segundo o relatório de resultados da Eneva.

A receita operacional líquida da Eneva ficou em R$ 1,22 bilhões no 4T20, o que representa crescimento de +10% na comparação de base anual.

Por sua vez, o crescimento do EBITDA da companhia no 4T20 está associado a um aumento dos preços de energia e a redução de custos.

Apesar do bom resultado operacional consolidado, quando ajustado para os poços secos (na ordem de R$ 8,6 milhões) e o impairment de R$ 52,8 milhões em Itaqui (MA), o resultado ficou em linha com a estimativa da equipe do BTG Pactual.

Maior despacho térmico impulsiona resultados

De acordo com o relatório do BTG Pactual, a Eneva reportou uma recuperação do despacho térmico no 4T20.

A combinação de forte recuperação no consumo de energia e má hidrologia elevou os preços spot (venda de energia), o que levou a um maior despacho térmico no período.

O despacho médio ponderado pela capacidade instalada no 4T20 foi de 91%, com geração bruta total de 4.068 GWh, comparado a 97% no 4T19 e geração bruta total de 4.288 GWh, segundo o relatório da Eneva.

Nota-se que as usinas de carvão e gás da Eneva tiveram despacho médio de 88% e 92%, respectivamente, impulsionando os resultados do trimestre.

Resultados fortes na geração de gás e carvão

Segundo o BTG Pactual, a Eneva reportou resultados mais fortes na geração de gás e carvão no 4T20, superando as estimativas da equipe.

Ao detalhar os resultados da companhia, as plantas de gás entregaram um EBITDA de R$ 199 milhões no período (contra R$ 177 milhões projetado pela equipe do BTG). Esse resultado é reflexo de receitas mais fortes no mercado livre e menores despesas de Vendas, Gerais & Administrativas (VGA).

Por sua vez, no negócio de carvão, o EBITDA ajustado atingiu R$ 155 milhões (contra estimativa de  R$ 128 milhões) em virtude das margens variáveis mais elevadas, lideradas pelo descasamento entre CVU (custos variáveis unitários) da planta e o custo médio de seu estoque de carvão.

No segmento de upstream, o EBITDA ajustado foi de R$ 236 milhões (contra estimativa de R$ 248 milhões) e seu braço de trading entregou EBITDA de R$ 16,8 milhões.

Por fim, o capex da companhia totalizou R$ 630 milhões no trimestre, sendo R$ 270 milhões alocados na construção do Parnaíba V e R$ 284 milhões no projeto Azulão-Jaguatirica.

Licitação do complexo de Urucu e novas reservas de gás

A Eneva participou recentemente da licitação para aquisição do complexo Urucu da Petrobras. Entretanto, o processo ainda não foi concluído e pode durar mais alguns meses antes de uma decisão final ser tomada.

Como resultado, a equipe do BTG Pactual ainda não incluiu o ativo em seu modelo. Usando dados disponíveis da Agência Nacional do Petróleo (ANP), a equipe estima que Urucu poderia adicionar R$ 12,80 por ação ao preço-alvo. Isso aumentaria o preço-alvo da companhia de R$ 55,00 para R$ 67,80.

O relatório de certificação de fim de ano divulgado recentemente pela Eneva também mostrou um aumento de 2,2 BMC nas reservas 2P de sua bacia do Amazonas.

Essas reservas incrementais poderiam ser usadas pela companhia para negociar contratos no mercado livre, por meio de GNL (gás natural liquefeito) com a cidade de Manaus (AM), ou com qualquer comprador potencial.

EBITDA fica em linha com as estimativas

Conforme informa o BTG Pactual, o EBITDA consolidado da Eneva no 4T20 ficou em R$ 606 milhões. Por sua vez, ajustado para poços secos e impairment, o EBITDA da companhia ficou em linha com a estimativa da equipe de R$ 554 milhões.

Lucro Líquido impulsionado por impostos diferidos

Conforme o relatório do BTG Pactual, o lucro líquido da Eneva no 4T20 foi de R$ 687 milhões, impulsionado pelo aumento dos impostos diferidos. Assim, o lucro líquido consolidado atingiu R$ 1 bilhão no ano de 2020.

Resultado Eneva (ENEV3) para o 4T20

Resultado Eneva (ENEV3) para o 4T20: Recomendações

Recomendação do BTG Pactual

A equipe de análise do BTG Pactual mantém uma visão otimista quanto ao caso de investimento da Eneva (ENEV3). O desenvolvimento do mercado de gás, juntamente com o potencial de crescimento em upstream em virtude de novos (e atuais) blocos exploratórios, podem trazer uma criação de valor significativa no futuro.

Assim, estabelece recomendação de compra, com preço-alvo em R$ 55,00.

 

Esta foi nossa apresentação da análise da equipe de Equity Research do BTG Pactual sobre o resultado da Eneva (ENEV3) para o 4T20. Acompanhe os conteúdos da Renova Invest para ter acesso a todas as análises de resultados trimestrais.

Disclaimer: As informações apresentadas neste artigo são provenientes de relatórios elaborados por terceiros. Esse material tem caráter puramente informativo, e não configura recomendação ou sugestão de investimento.