Renova Invest Facebook

O Que é o Keynesianismo e Como Funciona?

Keynesianismo o que é
Keynesianismo o que é

O Keynesianismo é uma teoria econômica que se baseia nos estudos do economista britânico John Maynard Keynes. Essa corrente econômica foi desenvolvida no início do século XX, principalmente em resposta à crise de 1929, conhecida como a Grande Depressão. O Keynesianismo propõe que o Estado deve desempenhar um papel ativo na economia, intervindo para combater o desemprego e estimular o crescimento econômico.

O Contexto Histórico e a Origem do Keynesianismo

Para entender a origem do Keynesianismo, é importante considerar o contexto histórico em que surgiu. No início do século XX, o pensamento econômico predominante era o Liberalismo, que defendia a ideia de que o livre mercado era capaz de se autorregular e garantir o equilíbrio econômico. No entanto, a crise de 1929 abalou profundamente essa crença.

A Grande Depressão foi uma das piores crises econômicas da história, e suas consequências foram devastadoras. Milhões de pessoas perderam seus empregos, empresas faliram e a economia entrou em um estado de profunda recessão. Foi nesse contexto que Keynes desenvolveu suas teorias econômicas.

As Principais Ideias do Keynesianismo

Uma das principais ideias do Keynesianismo é a de que o mercado livre não é capaz de se autorregular e garantir o pleno emprego. Segundo Keynes, a economia é influenciada tanto por decisões privadas quanto por decisões do governo. Em momentos de crise, como a Grande Depressão, os trabalhadores tendem a evitar gastos, os investidores ficam reticentes em investir e o governo tende a cortar gastos.

Essa falta de demanda efetiva leva a um desequilíbrio na economia, com excesso de oferta e desemprego. Para combater esse desequilíbrio, o Estado deve intervir, aumentando os gastos públicos e estimulando a demanda. Essa intervenção é chamada de política fiscal anticíclica.

Outra ideia importante do Keynesianismo é a de que o Estado deve investir em obras públicas e projetos de infraestrutura para estimular a economia e gerar empregos. Além disso, o Estado pode reduzir os impostos e baixar as taxas de juros para incentivar o consumo e os investimentos.

A Implementação do Keynesianismo

As ideias do Keynesianismo foram implementadas em diversos países, principalmente após a Segunda Guerra Mundial. Um exemplo famoso é o “New Deal” implementado pelo presidente americano Franklin D. Roosevelt nos anos 1930. O “New Deal” tinha como objetivo combater a crise econômica e garantir o pleno emprego através de programas de assistência social, investimentos públicos e regulamentação financeira.

Após a Segunda Guerra Mundial, muitos países adotaram políticas keynesianas para estimular suas economias. O Estado passou a desempenhar um papel ativo na economia, investindo em projetos de infraestrutura, oferecendo benefícios sociais e regulamentando o mercado.

No entanto, o Keynesianismo também recebeu críticas ao longo do tempo. Alguns argumentam que as políticas keynesianas podem levar ao aumento do endividamento público e à inflação. Além disso, o Keynesianismo foi questionado durante a crise do petróleo na década de 1970, quando as políticas de estímulo econômico não conseguiram evitar o aumento dos preços e a estagnação.

A Relação do Keynesianismo com o Mercado Financeiro

O Keynesianismo teve uma grande influência sobre o mercado financeiro. As políticas de estímulo econômico propostas por Keynes, como o aumento dos gastos públicos e a redução dos juros, têm um impacto direto nos mercados financeiros.

ONDE INVESTIR
EM 2024
DESCUBRA COMO ESCOLHER AS PEÇAS CERTAS PARA CONSTRUIR UM PORTFÓLIO SÓLIDO.

Quando o Estado aumenta os gastos públicos, isso pode estimular a economia e impulsionar o crescimento das empresas, o que pode ter um efeito positivo sobre o mercado financeiro. Da mesma forma, quando o governo reduz as taxas de juros, isso pode estimular o consumo e os investimentos, o que também pode ter um impacto positivo sobre os mercados.

No entanto, as políticas keynesianas também podem gerar incertezas nos mercados financeiros. O aumento do endividamento público, por exemplo, pode preocupar os investidores, pois pode levar a um aumento da inflação e a uma maior instabilidade econômica.

Conclusão

O Keynesianismo é uma teoria econômica que propõe a intervenção do Estado na economia para combater o desemprego e estimular o crescimento econômico. Suas ideias tiveram um impacto significativo no mercado financeiro, influenciando as políticas econômicas adotadas pelos governos em todo o mundo.

Embora tenha recebido críticas ao longo do tempo, o Keynesianismo continua sendo estudado e debatido até hoje. Sua relevância histórica e seu impacto sobre o mercado financeiro o tornam um tema importante para se compreender as teorias econômicas e as políticas adotadas pelos governos para enfrentar crises e promover o desenvolvimento econômico.

Veja também:

Inscreva-se
Notificar-me de
Esse campo só será visível pela administração do site
botão de concordância
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem a nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.