Conhecer o comportamento da taxa de juros é um dos pontos mais importantes para quem investe. Como a taxa tem tudo a ver com a remuneração de títulos de renda fixa ou com a atratividade da renda variável, saber o que é curva de juros se torna necessário.

Ao entender a representação e como ela funciona, você poderá avaliar melhor os valores da taxa ao longo do tempo. Com isso, também será possível tomar decisões mais estratégicas para a sua carteira de investimentos.

Na sequência, conheça a curva de juros e descubra o que essa ferramenta tem a oferecer sobre investimentos!

O que é curva de juros?

A curva de juros é a representação gráfica da relação que existe entre a taxa de juros e o tempo. Ou seja, ela indica visualmente como a taxa possivelmente evoluirá ao longo do tempo, dadas as condições atuais.

Por suas características, ela é conhecida por apresentar o custo do dinheiro em relação ao tempo, com base em juros futuros. A curva da taxa também pode ser chamada de curva a termo.

Como funciona a curva de juros?

Para entender o funcionamento da curva, é preciso compreender como os juros se comportam no tempo. Primeiramente, as taxas que são negociadas no mercado estão atreladas ao risco de crédito, ou seja, de ocorrer um calote. Quanto maior for essa chance, maiores são os juros.

A definição depende de uma avaliação geral do risco oferecido por uma operação. No curto prazo, é mais fácil identificar ou mesmo prever situações que possam comprometer o pagamento conforme acordado. Porém, conforme o tempo passa, a imprevisibilidade aumenta.

Torna-se muito mais complexo compreender qual será o cenário e se ocorrerá ou não o pagamento conforme previsto. Por isso, existe uma tendência de aumento dos juros com o passar do tempo. Em geral, quanto maior for o vencimento da dívida, maior será a cobrança de juros.

Isso acontece para compensar possíveis perdas no futuro. Assim, podemos dizer que a curva de juros representa exatamente essa relação. Ela indica que, com o passar do tempo, os juros futuros tendem a ser maiores.

Contudo, ela pode seguir o caminho oposto, especialmente quando está atrelada às condições do mercado. Se a inflação estiver baixa e a economia estiver estagnada, por exemplo, a redução dos juros é um mecanismo que pode ser utilizado para aquecer a economia.

Se o Banco Central, por meio do Comitê de Política Monetária (Copom), mantiver os juros elevados, a tendência é que eles caiam no futuro para equilibrar a relação, certo? Nesse caso, o mais provável é que a curva de juros siga de maneira ascendente.

Vale notar que a montagem da curva de juros é baseada em previsões e estimativas. Por causa disso, ela pode se alterar ao longo do tempo, ainda que faça referência ao mesmo período.

Quais são seus impactos sobre os investimentos?

Os investimentos são diretamente afetados pelas taxas de juros do mercado, então é importante conhecer a curva e como ela afeta os investimentos.

Nesse caso, os títulos de renda fixa são especialmente impactados pela estrutura da curva a termo. Para os títulos públicos, por exemplo, a diferença entre as datas de vencimento gera mudanças nos juros, com uma tendência de alta com o passar do tempo.

Os títulos prefixados de renda fixa, sejam públicos ou privados, também são impactados. Com prazos maiores, aumentam as chances de a remuneração do pós-fixado crescer. Então, os títulos com vencimento mais distante tendem a apresentar valores mais elevados, para compensar.

Até mesmo a renda variável é impactada. Além de a alteração na taxa de juros tornar a renda fixa mais ou menos atraente, os juros impactam o desconto de fluxos de caixa. Tudo isso pode afetar os fundos de investimento, tanto os de renda fixa quanto os de renda variável.

O que você deve saber ao considerar seus investimentos?

Saber como interpretar a curva de juros é relevante para quem atua no mercado financeiro, independentemente da classe de investimentos. Como vimos, essa é a curva responsável por apresentar uma previsão que tem impacto direto no potencial de ganhos.

Antes de investir em um título de renda fixa, por exemplo, é válido conhecer qual é a previsão de comportamento dos juros. Assim, você saberá qual é a variação de ganhos desse título com o tempo e poderá definir se é melhor recorrer ao longo prazo.

Também é crucial acompanhar as previsões do mercado, como a abertura ou o fechamento da taxa de juros. Esses são movimentos de alta ou baixa, em relação à previsão anterior.

Se você escolher um título pós-fixado com liquidez diária, o fechamento na curva pode indicar uma queda de rendimento. Com isso, você pode decidir se vale mais a pena vender antecipadamente ou se existe uma boa perspectiva sobre os ganhos ao aguardar o vencimento.

Por que é importante conhecer a curva de juros?

Entender o que é curva de juros tem muita importância para ter um apoio extra na tomada de decisão de investimentos. Uma das coisas que você pode decidir a partir dela é o prazo que faz mais sentido para o seu perfil de investidor, apetite ao risco e objetivo de ganhos.

Além disso, é possível compreender quais são as expectativas do mercado ao longo do tempo. Dependendo do caso, há como até se antecipar a uma crise financeira ou a uma perda de retorno em relação aos títulos pós-fixados.

Note que conhecer essa representação gráfica não torna os investimentos livres de risco, mas é possível fazer uma análise mais criteriosa. Na prática, é algo que ajuda a realizar escolhas mais convenientes. Contudo, fique atento, pois se trata de uma previsão. Logo, não há garantias.

Ao saber o que é curva de juros e como ela funciona, você poderá selecionar melhor seus investimentos. Como vimos, ela permite fazer um reconhecimento sobre os juros futuros, de modo a basear suas decisões!

Para ter mais dicas e informações sobre o mercado financeiro, acompanhe nossas publicações no Facebook, Instagram, LinkedIn e Youtube!