O BTG Pactual (BPAC11) iniciou a cobertura e análise de Petz (PETZ3), um ativo que estreou em setembro na Bolsa de Valores.

A Petz é uma das líderes no segmento de varejo pet no Brasil. Apresentando o valor de R$ 16,35 por ação, após sofrer uma alta de 4,14% no pregão de terça-feira, 20 de agosto. E inicialmente, o BTG havia iniciado o com o preço-alvo de R$ 20,00 em 12 meses.

Segundo a análise emitida no relatório da BTG,  o papel estreou oferecendo 27% de upside ao preço da ação e 45% ao preço do IPO (R$ 13,75).

Logo, porém, com a primeira divulgação de resultados após o IPO, a Petz superou expectativas e já demonstrou, de cara, a força de sua operação omnicanal, entregando um crescimento fortíssimo, reforçando a visão positiva sobre a empresa, que destacou-se pelo crescimento de 51% em sua receita, atingindo R$ 450 milhões.

Em face desses resultados, a BTG estabeleceu, portanto, novo preço-alvo para  PETZ3, indo para R$  22,00, em  virtude  dos fortes  resultados.

O perfil da Petz

A Petz atua em 110 lojas em 16 estados brasileiros e é dona da maior rede veterinária do Brasil. Totalizando 99 postos veterinários, com 7 hospitais.

A partir de uma análise do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o BTG realizou um mapeamento de todas as cidades que possuem mais de 100 mil habitantes no Brasil, e o que se descobriu é que entre 283 cidades, a Petz está presente em 60 delas.

Em suma, entre os seus diferenciais, além da sua expansão nacional, que teve início em 2015, a empresa também  vem investindo em uma estratégia omnichannel nos últimos anos.   uma ferramenta poderosa para aumentar a penetração em novos mercados – e um grande salto na frente da concorrência.

Por conta disso tudo, a Petz  vem sendo capaz de se expandir nos últimos anos, obtendo retornos melhores a cada dia, tanto da margem EBITDA quanto da perspectiva do ROIC. E com KPIs ainda melhores do que em São Paulo, sua cidade natal.

“Isso foi um impacto direto da melhor produtividade dessas novas safras de loja”, diz o relatório.

E não foi só isso que o relatório apontou. A concorrência “mais amena” em algumas regiões  também contribuiu,  assim como aa maior participação do comércio eletrônico nas vendas, com retirada na loja, ou seja, a aplicação da estratégia omnichannel, funcionou muito bem.  Estima-se que a Petz terá 196 lojas até 2025.

 

Os 4 pilares que sustentam a decisão da BTG

crescimento da petz em gráfico

Fonte: Petz – relações com investidores

 

“Nossa visão positiva se baseia em quatro pilares”, é o que apresenta o relatório do BTG, conforme seguem:

1- Um deles é a exposição a um mercado grande, de alto crescimento e ainda fragmentado para produtos e serviços para animais de estimação.

2- Há ainda a solução one-stop-shop focada na experiência dos consumidores na loja, com ampla variedade de produtos e conveniência, com clínicas de higiene e veterinária.

3- Expansão da plataforma omnichannel, tornando a Petz mais competitiva em relação aos players regionais e mercados horizontais.

4- E, por fim, expansão nacional com melhoria de rentabilidade.

Petz inserida em mercado fragmentado

“Apesar deste ser um mercado em amplo crescimento, o setor ainda oferece um mercado fragmentado e sem um player dominante” é o que afirma o relatório.

Isso significa dizer que, apesar de ser uma das líderes do setor, a Petz possui apenas cerca de 4% do mercado no setor de cuidados para animais de estimação. Na verdade, mais de 50% estão nas mãos de pequenos pet shops e clínicas veterinárias locais.

“Os donos de animais de estimação passaram de “propriedade” para “paternidade”, cuidando dos animais de estimação como parte da família”, explicam os analistas do BTG.

E muito embora no Brasil, este seja um setor que vem crescendo 11% ao ano, desde 2015, o BTG afirma que “há espaço para mais crescimento, especialmente à medida que o comércio eletrônico, que corresponde ainda a apenas 4% das vendas, ganha força.”

O relatório ainda completa: “A Petz já é uma das líderes no segmento de varejo pet e poderia assumir esse protagonismo que o mercado carece. Além disso, há potencial para aumentar a participação dos serviços, com clínicas veterinárias, nas vendas totais.”

Fonte: Petz – relações com investidores

Mercado Omnichannel

Além da natureza fragmentada do mercado brasileiro de pet care, outro ponto importante apontado no retório é que a Petz também se beneficia da crescente penetração do canal online e do modelo omnichannel sobre as vendas.

Afirma-se também que a pandemia ajudou a impulsionar as vendas online em 8% no final de 2019, chegando a 26% no 2T20. Isso tudo com a maioria das lojas abertas e com um desempenho promissor neste período o resultado foi que as vendas totais cresceram 37% no trimestre. Ou seja, há muito mercado ainda para a Petz crescer.

E, embora se possa esperar alguma desaceleração no comércio eletrônico no próximo ano, com o fim do isolamento social, o relatório prevê que “o canal deve permanecer um pilar fundamental do caso de negócios da empresa.

Sobre este ponto, o relatório conclui que  “a vasta base de lojas da Petz é uma vantagem competitiva para entregar mais rápido e mais barato do que mercados horizontais e até mesmo players especializados sem capilaridade nacional.” E traz como exemplo, as entregas expressas oferecidas em 2 horas nas principais cidades e retirada na loja em 1 hora.

 

Concorrência

Os concorrentes também estão olhando para o crescente e fragmentado mercado de pet care de R$ 24 bilhões no Brasil.

Sem concorrentes diretas listadas na B3, a Petz foi comparada pelos analistas a outras redes de varejo, como Magazine Luiza (MGLU3), Lojas Renner (LREN3) e Raia Drogasil (RADL3).

De acordo com o relatório, a concorrência de plataformas de marketplace mais horizontais (Magazine Luiza e B2W) e um negócio ainda focado na venda de itens mais commoditizados. Tendo o pet food como 50% das receitas ainda, são riscos, sim.

Entretanto, por conta da boa execução da Petz nos últimos anos, que escalou com sucesso suas operações de comércio eletrônico. Isso somado ao fragmentado mercado brasileiro de cuidados com animais de estimação, servem como  sustento para a visão positiva dos analistas.

O BTG lembra ainda que “um dos dilemas do comércio eletrônico em todo o mundo é se a concorrência das maiores plataformas impedirá o desenvolvimento de participantes de nicho.”

Ademais, afirmam que “o tráfego e o sortimento ganham relevância para o consumidor”. Ou seja: fica mais difícil e mais caro para a concorrência ou menor, ou  especializada, se diferenciar nesse universo.

Excelentes resultados após o IPO

 

Em sua primeira divulgação de resultados após o IPO a Petz já demonstrou a força de sua operação omnicanal.  Entrega um forte crescimento e reforça a visão positiva sobre a empresa.

No3T20, a Petz apresentou crescimento de 51% em sua receita, que atingiu R$ 450 milhões, um resultado que ficou em linha com estimativas otimistas da BTG.

O destaque do período foi o crescimento de cerca de 400% nas vendas via e-commerce, que representou cerca de 26% das vendas no trimestre vs.~8% em igual trimestre do ano anterior, das quais 78,6% foram omnicanal  (73,9%  no  3T19).

Fonte: Petz – relações com investidores

De acordo com o novo relatório emitido, “o  forte  desempenho  da  receita  reflete  uma  performance  das vendas das mesmas lojas (SSS) de 32%. E também da abertura de dez novas lojas nos 3T20, das quais 52% ainda estão em fase de maturação.”

Ainda, o  EBITDA  apresentou crescimento de 34,5%,  com  uma margem  de  10,4%, resultado igualmente em  linha  com  as estimativas do BTG.

“Já observamos um aumento de participação em vendas das lojas localizadas fora do estado de São Paulo de 32% no 3T19 para 38% no 3T20 comprovando o sucesso da marca e da estratégia de expansão para outros estados.”, afirmam os analistas do BTG. Reiterando, desse modo, a sua recomendação de compra e alterando o preço-alvo  para  R$  22,00 em  virtude  dos  fortes  resultados  apresentados  e das boas perspectivas futuras.

Fonte: Petz – relações com investidores

Cenário de Pandemia

 

O relatório aponta ainda um mix com maior participação de produtos x serviços, e crescimento da categoria de não alimentos, favorecida pela pandemia,

Assim como o aumento  do  tempo  dos  tutores  com  seus  pets  em  razão  do isolamento social, ocasionando um forte crescimento das vendas digitais.

“Acreditamos que os resultados reportados pela Petz reforçam nossa visão construtiva do case, pois demonstram a capacidade de execução de sua estratégia de expansão de lojas, a força de sua estratégia omnicanal e principalmente a resiliência de seu negócio diante do cenário de pandemia”, afirma o BTG em relatório.

considerações finais sobre a petz

Fonte: Petz – relações com investidores

Além disso, acredita-se que com os recursos do IPO, a companhia poderá manter seu ritmo de crescimento. E também aprimorar sua estratégia O2O, melhorando ainda mais o nível de serviço aos seus clientes. “Desse modo, se reduzirão as despesas de logística last-mile através do uso da capilaridade de lojas,  aumentando  ainda  mais  as  vendas ship-from-store,  ou pick-up,  levando  a  maior alavancagem operacional.”

E então, investir nesse segmento parece interessantes para o seu portfólio? Tem mais alguma dúvida sobre o assunto? Entre em contato conosco e conte com nossa ajuda na hora de investir!