No mercado financeiro, existem diversos termos e siglas que o investidor deve conhecer. Entre eles, está o IPCA-15. Derivado do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), esse índice também mede a inflação.

Por essa razão, esse é um dos indicadores que atuam como um termômetro para o sistema financeiro do país. Além disso, o IPCA-15 pode impactar diretamente o retorno da sua carteira de investimentos e o seu orçamento.

Tem dúvidas sobre o assunto? Neste artigo, você entenderá o que é o IPCA-15, para que serve e como é calculado.

Confira!

O que é IPCA?

Antes de entender o que é o IPCA-15, é importante saber o que significa o IPCA. Essa sigla se refere a um dos índices de inflação mais importantes do Brasil. Por sua vez, a inflação se refere ao aumento do preço de produtos e serviços, que resulta na redução do poder de compra da moeda.

Criado em 1979, o índice surgiu com o propósito de medir a variação dos preços de uma gama de serviços e produtos consumidos pelas famílias brasileiras. Assim, o resultado do cálculo indica se os preços reduziram, aumentaram ou se mantiveram em relação ao mês anterior, permitindo observar as tendências de inflação.

O que é IPCA-15?

Agora que você já sabe o que é o IPCA, chegou o momento de entender o que é o IPCA-15. Esse índice é semelhante ao anterior. Porém, a sua forma de análise tem características específicas que você entenderá mais adiante.

Nesse contexto, o SNIPC (Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor) produz índices de preços ao consumidor. Para tanto, são considerados dados obtidos em estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, incluindo concessionárias de serviços públicos e internet.

Enquanto o IPCA é calculado com dados do 1 ao dia 30 de cada mês, o IPCA-15 é contado do dia 16 de um mês ao dia 15 do outro mês. Desse modo, ele mostra a tendência do resultado do final do mês. Portanto, o IPCA-15 é uma prévia do IPCA, sendo divulgado a cada 15 dias.

Vale saber que a coleta de informações de ambos é a mesma. O que difere é o período analisado de cada um dos índices. Com esses indicadores, é possível mensurar o custo de vida da população brasileira.

Qual a importância do IPCA-15?

Como você viu, o IPCA-15 é considerado uma prévia da inflação. Assim como o IPCA, a sua aplicação é de grande importância para a economia brasileira. A partir do resultado desses índices, o Governo pode monitorar a inflação, pois é um reflexo do desempenho da atividade econômica do país.

Afinal, esse índice aumenta ou diminui devido às altas ou quedas nos preços dos produtos e serviços mais consumidos pelas famílias. Dessa maneira, quando o índice está com valor alto, você pode observar que os preços dos itens de supermercado também aumentam, por exemplo.


Além de servirem como indicador oficial da inflação, o IPCA e o IPCA-15 podem ser utilizados em outras finalidades. Por exemplo, é possível que eles sejam aplicados para calcular o reajuste de contratos privados ou públicos. Outra utilização desses índices se refere às aplicações financeiras.

Existem investimentos de renda fixa que apresentam rentabilidade atrelada ao IPCA. Sendo assim, são alternativas para investidores que desejam proteger a carteira de investimentos contra a inflação.

Vale destacar que também existem outros investimentos influenciados diretamente pelo IPCA. Por exemplo:

  • Títulos do Tesouro Direto;
  • LCI (letras de crédito imobiliário);
  • LCA (letras de créditos do agronegócio).

Tendo em vista que acompanhar o IPCA-15 ajuda a identificar uma prévia da inflação, ele pode trazer mais dados para os investidores. Isso porque, ao ser monitorado, o indicador permite acompanhar a economia do país e os seus investimentos.

Como é calculado o IPCA-15?

Você aprendeu que o IPCA-15 é calculado a partir dos valores de produtos e serviços praticados em estabelecimentos durante 30 dias. Portanto, a sua divulgação é feita de forma mensal, mas em uma quinzena diferente da divulgação do IPCA. Mas, você sabe como ele é calculado?

Primeiramente, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), órgão responsável pela coleta de dados para o cálculo do índice, pesquisa itens de consumo de famílias cujo rendimento vai de 1 até 40 salários mínimos. Essa amostra representa a renda da maior parte da população brasileira.

Coleta de dados

Todos os meses, o IBGE coleta preços em lojas e estabelecimentos de prestação de serviços, concessionárias de serviços (água e energia elétrica) e internet. Nesse processo, são considerados os seguintes grupos de serviços e produtos:

  • alimentação e bebidas;
  • artigos de residência;
  • artigos de vestuário;
  • habitação;
  • transportes;
  • despesas pessoais;
  • educação;
  • comunicação;
  • saúde e cuidados pessoais.

Com isso, a cesta de produtos e serviços pesquisados é bastante variada — desde arroz e feijão, até consulta médica, atividades de lazer e mensalidade escolar. Ademais, cada item tem um peso diferente do outro no cálculo, conforme a sua presença na cesta de consumo médio das famílias.

Por exemplo, os produtos relacionados à alimentação apresentam pelo maior que os de comunicação ou vestuário.

Ainda, a coleta é feita em determinadas áreas do país. Ou seja, a pesquisa não contempla todas as cidades, somente nas regiões metropolitanas. São elas:

  • São Paulo;
  • Belo Horizonte;
  • Rio de Janeiro;
  • Salvador;
  • Fortaleza;
  • Porto Alegre;
  • Curitiba;
  • Distrito Federal;
  • Recife;
  • Belém;
  • Goiânia.

Além disso, as diferentes regiões têm peso diferente na composição do IPCA. A representatividade de cada uma no cálculo é determinada pela diferença na renda média das famílias. Dessa maneira, os lugares com maior peso no IPCA são os que apresentam maior rendimento.

Conclusão

Como você conferiu, o IPCA-15 é um índice calculado com uma metodologia semelhante ao IPCA. Entretanto, o que diferencia um indicador do outro é a maneira com que a análise é feita. Porém, como a inflação impacta os investimentos, é importante que você esteja atento a esse indicador.

Você sabe quais investimentos são atrelados ao IPCA? Aproveite e conheça o Tesouro IPCA, como ele funciona e como investir!