Se você quer encontrar conforto financeiro na sua aposentadoria, não poderá contar apenas com a Previdência Pública. Afinal, o benefício pago pelo Governo costuma não ser o bastante para manter o seu padrão de vida. Por isso, vale conhecer o que é um fundo de Previdência Privada.

Ter formas alternativas de acumular capital e gerar renda passiva pode ser determinante para você conseguir alcançar a liberdade financeira no futuro. Então é necessário estudar as opções de investimento que possibilitam atingir esse objetivo.

Portanto, continue a leitura deste artigo e veja o que é e como funciona um fundo de Previdência Privada. Não perca!

O que é Previdência Privada?

Visando facilitar a compreensão sobre o que é Previdência Privada, vale relembrar o conceito da Previdência Pública. Também chamada de Previdência Social, a Previdência Pública é um tipo de seguro social.

Ela funciona a partir das contribuições mensais realizadas pelo cidadão ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), durante a fase produtiva da vida.

Quando a pessoa se torna inapta ao trabalho, ela terá direito a receber um benefício geralmente proporcional ao tempo e ao valor que contribuiu. Isso pode acontecer quando o segurado alcança determinada idade, adoece ou falece — quando poderá ser fixada uma pensão aos seus familiares.

Já a Previdência Privada é uma modalidade de investimento disponível em bancos de investimentos. Por meio desse produto financeiro, o investidor consegue acumular recursos conforme os aportes financeiros que realizar.

Uma de suas principais vantagens é que o investidor decidirá o quanto será recolhido e a periodicidade do recolhimento. Além disso, ele poderá resgatar o montante aplicado, caso queira desfazer o investimento antecipadamente.

Normalmente, a Previdência Privada é utilizada para complementar a Previdência Pública. Contudo, ela também pode atender ao investidor que visa cumprir objetivos de longo prazo. Por exemplo, realizar o sonho da casa própria, garantir o futuro financeiro dos filhos, entre outros.

O que é um fundo de Previdência e como funciona?

Depois de conhecer o conceito de Previdência Privada, chegou o momento de explorar o que é um fundo de Previdência Privada e o seu funcionamento. Trata-se de um fundo de investimento como qualquer outro, porém com objetivo de construção patrimonial no longo prazo.

Assim como em fundos de investimentos tradicionais, a gestão do patrimônio do fundo será realizada por um profissional certificado para atuar no mercado financeiro. Ele é o responsável pela escolha dos investimentos que serão realizados para atingir os objetivos traçados.

Ao investidor, por sua vez, caberá decidir qual será o plano de previdência (PGBL ou VGBL). Ainda, é possível determinar valor dos aportes, periodicidade dos pagamentos, forma de resgate, regime de tributação, beneficiários, etc.

SUA LIBERDADE FINANCEIRA ESTÁ A UM CLIQUE Aprenda a viver de renda

Aprenda a viver de renda passiva com especialistas do mercado

O funcionamento de um fundo de Previdência Privada é pautado em duas etapas principais. A primeira é a de acumulação, fase em que o investidor contribuirá com a quantia que estipulou no início do investimento.

Após encerrada essa etapa, terá início a fase de usufruto (ou distribuição). Nela, o investidor receberá a quantia que foi acumulada. Isso pode ser feito de forma integral, em uma única parcela, ou em forma de resgates fracionados, que podem constituir uma renda temporária ou vitalícia.

Qual é a diferença entre os planos VGBL e PGBL?

Um dos fatores mais importantes a respeito da Previdência Privada é a diferença entre os dois tipos de planos disponíveis. Isso porque a escolha entre um e outro pode trazer benefícios específicos para o investidor — especialmente em relação ao Imposto de Renda (IR).

Confira cada um deles!

PGBL

PGBL é a abreviação para Plano Gerador de Benefício Livre. O seu diferencial é a possibilidade de deduzir as contribuições pagas do Imposto de Renda. Nesse caso, o valor máximo de abatimento é de 12% da renda bruta anual tributável.

Diante disso, a escolha pelo modelo PGBL costuma ser mais interessante para quem apresenta a versão completa da declaração de IR. Afinal, junto aos gastos com saúde, educação, entre outros valores dedutíveis, as aplicações em previdências poderão reduzir sua carga tributária.

Outra característica importante acerca do PGBL refere-se à tributação de IR. Nesse tipo de plano, o imposto recairá sobre todo o montante reservado ao longo dos anos e não somente sobre os rendimentos — como em muitos investimentos.

VGBL

Já VGBL é a sigla para a Vida Geração de Benefício Livre. Ao contrário da modalidade anterior, o investimento permite abatimentos no Imposto de Renda. Por conta disso, esse pode ser o plano mais adequado para quem entrega a versão simplificada do IR ao Fisco.

Nele, haverá a incidência de imposto apenas sobre os rendimentos obtidos no momento do resgate. Portanto, o total do montante investido não influencia no cálculo para o recolhimento do IR.

Tanto no PGBL quanto no VGBL, o investidor poderá ainda decidir a forma da tributação, que pode seguir a tabela progressiva ou regressiva. Na primeira o imposto aumenta conforme a faixa de renda que será recebida. Na segunda tabela, a tributação reduz de acordo com o tempo de aplicação.

Qual é o melhor plano de Previdência Privada?

Ao chegar nesse ponto, talvez você esteja se perguntando qual é o melhor plano de Previdência Privada para investir. Entretanto, não há apenas uma resposta para essa questão. Afinal, cada investidor possui uma abertura aos riscos e objetivos distintos.

Então, se você quer saber qual é o melhor plano de Previdência Privada no seu caso, precisará revisitar o seu perfil de investidor e os objetivos no mercado. Saber o quanto você pretende receber no futuro e em quanto tempo deseja atingir esse objetivo auxilia na tomada de decisão.

Contudo, também será preciso analisar com atenção as estratégias de um fundo antes de investir nele. Os fundos previdenciários apresentam diferentes características no que diz respeito à escolha dos investimentos para compor o portfólio.

Existem fundos que aplicam somente em renda fixa, priorizando a segurança. Já outros, investem mais em renda variável, buscando maximizar o retorno do capital aplicado. Também há aqueles que mantêm ambas as alternativas em carteira, visando equilibrar o risco e retorno.

Logo, no mercado, é possível encontrar fundos de Previdência Privada com diferentes níveis de risco e potencial rentabilidade. Assim, caberá ao próprio investidor verificar qual dos fundos disponíveis é mais adequado ao seu perfil, necessidades e expectativas.

Após aprender o que é um fundo de Previdência Privada, você tem mais uma alternativa à sua disposição para alcançar seus planos de longo prazo. No entanto, lembre-se de que seu êxito exige disciplina e foco no presente para fazer os aportes e colher os resultados no futuro.

Quer ter acesso a diferentes alternativas de investimento e entender mais sobre o funcionamento de cada uma delas? Entre em contato com um de nossos assessores!