Carteira Recomendada de Small Caps do BTG Pactual - Março/2021
Carteira Recomendada de Small Caps do BTG Pactual - Março/2021

Carteira Recomendada de Small Caps do BTG Pactual – Março/2021

Todos os meses, o BTG Pactual elabora uma série de Carteiras Recomendadas, reunindo sugestões de ativos para o período, a partir das análises financeiras e econômicas de sua equipe especializada. Esta é a Carteira Recomendada de Small Caps do BTG Pactual para Março de 2021.

Visão Geral

A equipe de análise do BTG Pactual pontua que, nos dois primeiros meses de 2021, o índice Ibovespa apresentou quedas consecutivas. As razões por trás desse movimento são a preocupação dos investidores com a situação fiscal e a expectativa de alta dos juros nos Estados Unidos.

A solicitação do governo para troca do CEO da Petrobras também afetou a confiança dos investidores, sinalizando a possibilidade de maior intervenção federal sobre a empresa, que representa quase 9% do índice Ibovespa.

Não apenas os investidores brasileiros ficaram assustados com o evento, mas também os estrangeiros. Com isso, houve um abalo no fluxo de capitais estrangeiros para a bolsa em Fevereiro.

Na economia brasileira, um dos principais pontos de atenção é a taxa de desemprego, que permanece elevada devido ao avanço da pandemia e à ampliação das medidas de restrição. Além disso, estima-se que 10 milhões de vagas de emprego tenham sido perdidas até o momento.

A esperança de recuperação reside na aceleração da vacinação. O programa de imunização começou em 17 de Janeiro e, desde então, 3,9% da população brasileira recebeu as primeiras doses.

Finalmente, na política, os analistas do BTG Pactual apresentam como destaque a votação da PEC Emergencial. Essa proposta tem como objetivo amenizar restrições fiscais, esclarecer pontos específicos das normas sobre limites de gastos e criar uma estrutura para lidar com calamidades públicas.

A PEC pode permitir, de imediato, a liberação de uma nova rodada do auxílio emergencial.

Para o mês de Março/2021, o BTG Pactual recomenda uma carteira com 5 small caps, distribuída da seguinte maneira:

  • Aeris (AERI3) – 20%
  • Oi S.A. (OIBR3) – 20%
  • 3R Petroleum (RRRP3) – 20%
  • Randon (RAPT4) – 20%
  • Santos Brasil (STBP3) – 20%

Em relação à carteira de Fevereiro/2020, houve uma saída: Lavvi (LAVV3).

Desempenho

Segundo os analistas do BTG Pactual, o desempenho da Carteira Recomendada de Small Caps apresentou queda de -9,7% em Fevereiro, contra queda de -4,4% do IBOV e de -2,2% do SMLL.

Em 2021, a BTG SMLL acumulou rentabilidade de +9,1%, em relação a -7,5% do IBOV e -5,2% do SMLL.

Desde julho de 2010, a BTG SMLL registrou rentabilidade acumulada de +2.225,4%, em relação a +80,5% do IBOV e +134,9% do SMLL.

Carteira Recomendada de Small Caps do BTG Pactual - Março - 2021 img1

Aeris (AERI3)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Aeris (AERI3) apresenta fundamentos atraentes e vantagens competitivas importantes. Entre os destaques, estão as perspectivas positivas para o setor de energia eólica, a consolidação do mercado, a posição de liderança da empresa no mercado brasileiro e a sua excelência operacional.

Além disso, apresenta retorno de capital acima da média da indústria e elevada taxa de crescimento.

Outro aspecto importante é que a indústria de energia eólica atravessa um momento de otimismo, após a eleição de Joe Biden nos EUA, uma vez que o novo presidente reafirmou o compromisso do país com a proteção ao meio ambiente.

Para completar, o banco aponta que a Aeris divulgou a assinatura de um contrato importante com a Siemens, o que deve reduzir o risco associado a suas projeções de volume.

Oi S.A. (OIBR3)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Oi S.A. (OIBR3) apresentou uma forte queda no preço de suas ações no começo deste ano, descendo a R$ 1,88.

O provável motivo foram notícias de que houve apenas dois interessados em apresentar lances para a empresa de infraestrutura da Oi, InfraCo, um dos ativos que estão sendo leiloados como parte do plano de recuperação judicial. Além disso, segundo as notícias, os valores oferecidos não ficaram muito além do preço mínimo definido.

O banco considera que ainda é precipitado concluir que as ofertas vão permanecer nessa faixa. Pontua, também, que dois interessados são suficientes para um leilão bem disputado, desde que eles queiram o ativo e tenham capital para apresentar lances mais altos.

O BTG Pactual, presumindo que a InfraCo seja vendida por R$ 24 bilhões, estabelece o preço-alvo da OIBR3 em R$ 3,10 – revelando um potencial de valorização de +49% em relação ao preço atual de negociação.

3R Petroleum (RRRP3)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a 3R Petroleum (RRRP3) representa a revitalização dos ativos petrolíferos onshore e em águas rasas. Por ser a única empresa listada nesse segmento, ela conta com o valor de escassez.

Como a Petrobras está focada nas operações em águas profundas, não está havendo muito esforço dedicado à recuperação de ativos não essenciais. Por isso, a 3R tem uma oportunidade de crescimento interessante.

Além disso, os analistas avaliam que, apesar do seu curto período de vida, a empresa tem um risco de execução menor do que imaginado. Ela se concentra na produção e aposta em técnicas convencionais de revitalização.

Outro fator importante é o baixo custo de produção, que garante a resiliência do portfólio mesmo diante de quedas nos preços do petróleo.

A equipe de análise considera que a 3R tem boa relação risco-retorno e também é uma alternativa atrativa para investidores que querem mais exposição aos preços do Petróleo Brent e menos exposição ao risco político.

Randon (RAPT4)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Random (RAPT4) permanece na carteira porque há uma expectativa de bons resultados referentes ao 4T20.

Além disso, a demanda de veículos pesados em 2021 deve apresentar resiliência, devido à continuidade da demanda do setor agrícola e à retomada da demanda de outros setores importantes de compradores, como construção civil e infraestrutura.

Para completar, os analistas do BTG consideram que, em longo prazo, a empresa deve colher benefícios da melhoria na alocação de capital, do foco em automação e das iniciativas de inovação.

O banco aponta, ainda, boas perspectivas em relação à incorporação da Nakata pela Fras-Ie, subsidiária da Randon, após o negócio da compra ter sido aprovado pelo CADE em Setembro de 2020.

Santos Brasil (STBP3)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Santos Brasil (STBP3) conta com três pontos favoráveis: o ambiente regulatório, a dinâmica competitiva em Santos e as perspectivas para os setores portuário e de infraestrutura.

A empresa realizou recentemente um follow-on de R$ 790 milhões e, portanto, está bem capitalizada para aproveitar oportunidades, apesar do impacto da pandemia sobre os volumes de importação de Santos. Também pode utilizar os recursos para a verticalização e integração da cadeia logística e para a consolidação do Porto Brasileiro de Contêineres.

A equipe de análise espera, ainda, que a empresa seja beneficiada pela alta daindústria de transporte de contêineres e pela renovação do contrato com a Maersk, com possível ajuste de preços na casa dos dois dígitos.

 

Estes são os ativos da Carteira Recomendada de Small Caps do BTG Pactual para Março de 2021. Acompanhe os conteúdos da Renova Invest para ter acesso às carteiras recomendadas mensais para small caps.

Disclaimer: As informações apresentadas neste artigo são provenientes de relatórios elaborados por terceiros. Esse material tem caráter puramente informativo, e não configura recomendação ou sugestão de investimento.

Compartilhe:

Deixe uma resposta


Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.