Carteira Recomendada de Small Caps do BTG Pactual – Janeiro/2021

Todos os meses, o BTG Pactual elabora uma série de Carteiras Recomendadas, reunindo sugestões de ativos para o período, a partir das análises financeiras e econômicas de sua equipe especializada. Esta é a Carteira Recomendada de Small Caps do BTG Pactual para Janeiro de 2021.

Visão Geral

A equipe de análise do BTG Pactual considera que há um aumento do apetite por risco nos mercados globais, o que pode impulsionar as ações dos mercados emergentes neste ano. Em novembro, as entradas em ações brasileiras por investidores estrangeiros atingiram R$ 33 bilhões; até 28 de dezembro, foram outros R$ 18 bilhões.

Esse apetite foi favorecido por perspectivas positivas envolvendo, entre outras questões, o início da vacinação contra Covid-19 e a aprovação de novo pacote de estímulo nos EUA.

Além disso, os analistas ressaltam que apenas um resultado desastroso da gestão fiscal poderia prejudicar o país, no momento. No entanto, eles consideram que as chances combinadas de um cenário fiscal relativamente positivo são maiores do que as chances de um cenário negativo.

Ao mesmo tempo, dados recentes da atividade econômica apontam recuperação robusta e intensa, principalmente para vendas no varejo e produção industrial. A previsão é de que o PIB pode atingir +3,5% em 2021. No entanto, o fim do auxílio emergencial e o aumento da inflação podem prejudicar o consumo.

Para o mês de Janeiro/2021, o BTG Pactual recomenda uma carteira com 5 small caps, distribuída da seguinte maneira:

  • Aeris (AERI3) – 20%
  • Oi S.A. (OIBR3) – 20%
  • Lavvi (LAVV3) – 20%
  • Méliuz (CASH3) – 20%
  • Santos Brasil (STBP3) – 20%

Em relação à carteira de Dezembro/2020, houve quatro saídas: Randon (RAPT4), Simpar (SIMH3), Hidrovias do Brasil (HBSA3) e Locaweb (LWSA3).

Desempenho

Segundo os analistas do BTG Pactual, o desempenho da Carteira Recomendada de Small Caps apresentou alta de +11,2% em dezembro, em relação a alta de +9,3% do IBOV.

Em 2020, a BTG SMLL acumulou rentabilidade de +44,5%, em relação a +2,9% do IBOV.

Desde julho de 2010, a BTG SMLL registrou rentabilidade acumulada de +2.032,2%, em relação a +95,2% do IBOV.

tabela de performance small caps

Aeris (AERI3)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Aeris (AERI3) apresenta fundamentos atraentes e vantagens competitivas importantes. Entre os destaques, estão as perspectivas positivas para o setor de energia eólica, a consolidação do mercado, a posição de liderança da empresa no mercado brasileiro e a sua excelência operacional.

Além disso, apresenta retorno de capital acima da média da indústria e elevada taxa de crescimento.

O banco aponta um valuation pouco exigente, com relação Preço / Lucro estimada para 2021 em 26,8x.

Oi S.A. (OIBR3)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Oi S.A. (OIBR3) tornou-se um investimento menos arriscado com a aprovação de seu plano revisado.

A operação móvel foi leiloada por R$ 16,5 bilhões em 14 de dezembro. O negócio ainda depende de aprovação da Anatel e do CADE, e deve ser concluído no final do ano.

Considerando essa transação, a empresa já captou o equivalente a 73% dos R$ 24,5 bilhões que devem ser obtidos com a venda de seus ativos. O próximo passo deve ser o leilão de participação na InfraCo, que deve acontecer ainda no primeiro trimestre.

Lavvi (LAVV3)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Lavvi (LAVV3) está no caminho certo para cumprir os planos de forte crescimento e alta lucratividade, propostos quando realizou seu IPO.

No 4T20, a empresa lançou dois projetos que apresentaram forte desempenho de vendas. Outros quatro projetos estão previstos para 2021, incluindo o Ibirapuera/Versace, que apresenta margens altas. Além disso, a empresa tem realizado a aquisição de terrenos a condições atrativas, apesar da competição acirrada.

O banco considera que, com o mercado imobiliário permanecendo aquecido em São Paulo, a empresa pode acelerar seus lançamentos e aumentar as margens para atingir ROE – retorno sobre patrimônio líquido de 25%.

Méliuz (CASH3)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Méliuz (CASH3) é impulsionada por uma equipe de gestão empreendedora e uma cultura sólida. Em seus 10 anos atuando para conectar consumidores e parceiros, ela desenvolveu tecnologia e know-how para oferecer uma ótima experiência do usuário.

O banco avalia que o negócio de cashback, no qual a empresa é pioneira, ainda é incipiente no Brasil. Assim, por ser um player independente, ela deve se beneficiar de uma maior divulgação do serviço.

Santos Brasil (STBP3)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Santos Brasil (STBP3) conta com três pontos favoráveis: o ambiente regulatório, a dinâmica competitiva em santos e as perspectivas para o setor portuário e de infraestrutura.

A empresa realizou recentemente um follow-on de R$ 790 milhões e, portanto, está bem capitalizada para aproveitar oportunidades, apesar do impacto da pandemia sobre os volumes de importação de Santos.

O banco aponta uma relação risco-retorno altamente atraente, com TIR – taxa interna de retorno real de 9%.

Estes são os ativos da Carteira Recomendada de Small Caps do BTG Pactual para Janeiro de 2021. Acompanhe os conteúdos da Renova Invest para ter acesso às carteiras recomendadas mensais para small caps.

Disclaimer: As informações apresentadas neste artigo são provenientes de relatórios elaborados por terceiros. Esse material tem caráter puramente informativo, e não configura recomendação ou sugestão de investimento.

Compartilhe:

Deixe uma resposta


Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.