Todos os meses, o BTG Pactual elabora uma série de Carteiras Recomendadas, reunindo sugestões de ativos para o período, a partir das análises financeiras e econômicas de sua equipe especializada. Esta é a Carteira Recomendada de Fundos Imobiliários do BTG Pactual para Fevereiro de 2021.

Visão Geral

A equipe de análise do BTG Pactual apresenta uma visão otimista com o mercado imobiliário, mas considera que é o momento de vender as cotas de fundos do segmento de shopping centers.

Segundo o relatório do banco, esse segmento atravessa um momento de incerteza. Os principais motivos são o fim do auxílio emergencial, benefício encerrado em Dezembro de 2020, e a retomada de medidas restritivas para o combate à pandemia, inclusive com o retrocesso na flexibilização da quarentena.

Abertura e horários de funcionamento dos shoppings são afetados, o que pode prejudicar os resultados de vendas. Dessa forma, o risco associado a inadimplência e vacância, bem como a necessidade de concessão de descontos, aumentam em curto prazo.

Para o mês de Fevereiro/2021, o BTG Pactual recomenda uma carteira com 12 FIIs, distribuída da seguinte maneira:

  • RCRB11 – 5,0%
  • HGRE11 – 5,0%
  • KNCR11 – 5,0%
  • RBRR11 – 7,5%
  • BTCR11 – 7,5%
  • HSLG11 – 7,5%
  • CPTS11 – 7,5%
  • SARE11 – 10,0%
  • BRCR11 – 10,0%
  • XPLG11 – 10,0%
  • BTLG11 – 10,0%
  • RBRP11 – 15,0%

Em relação à carteira de Janeiro/2021, houve 2 saídas, do HSML11 e do XPML11.

Desempenho

Segundo os analistas do BTG Pactual, a Carteira Recomendada de FIIs para Fevereiro de 2021 deve apresentar dividend yield anualizado de 6,8% e dividend yield de 6,5% nos próximos 12 meses.

As cotas dos FIIs sugeridos pelos analistas estão sendo negociadas na média com preço muito próximo em relação ao seu valor patrimonial.

A carteira possui volume médio diário de negociação de R$ 4,3 milhões, fator que deve ser considerado para avaliar seu nível de liquidez.

 

FII RBR Rendimento High Grade (RBRR11)

De acordo com a equipe do BTG Pactual, o RBRR11 é um fundo de recebíveis imobiliários (fundo de papel) com carteira de crédito pulverizada e, atualmente, 82% do seu patrimônio líquido está aplicado nos ativos core, papéis exclusivos estruturados pela própria gestora.  O relatório do banco destaca os seguintes pontos fortes:

FII RBR Rendimento High Grade (RBRR11)

FII BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCR11)

De acordo com a equipe do BTG Pactual, o BTCR11 é um fundo que tem foco no longo prazo e prioriza a preservação do capital investido, contando com devedores de grande porte e baixo risco de crédito. O relatório do banco destaca os seguintes pontos fortes:

FII BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCR11)

FII Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11)

De acordo com a equipe do BTG Pactual, o KNCR11 é um dos maiores FIIs de recebíveis e sua estratégia consiste em adquirir papéis de empresas consolidadas em seus setores de atuação. O relatório do banco destaca os seguintes pontos fortes:

FII Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11)

Capitânia Securities II (CPTS11)

De acordo com a equipe do BTG Pactual, o CPTS11 é um fundo que aplica seus recursos primariamente em papéis high grade e, secundariamente, em cotas de outros fundos imobiliários.  O relatório do banco destaca os seguintes pontos fortes:

Capitânia Securities II (CPTS11)

 

Santander Renda de Aluguéis FII (SARE11)

De acordo com a equipe do BTG Pactual, o SARE11 é um FII que visa a geração de renda por meio do investimento em imóveis comerciais para locação, de preferência nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. O imóvel com maior representatividade na carteira, o WT Morumbi, conta com um mecanismo de renda mínima garantida – RMG, o que aumenta a previsibilidade da distribuição de proventos. O relatório do banco destaca os seguintes pontos fortes:

Santander Renda de Aluguéis FII (SARE11)

 

XP Log FII (XPLG11)

De acordo com a equipe do BTG Pactual, o setor de galpões logísticos, ao qual está vinculado o XPLG11, não sofreu um impacto tão forte com a pandemia de Covid-19, devido a dois fatores: a necessidade de promover a distribuição de produtos e as cláusulas rígidas dos contratos de locação.  O relatório do banco destaca os seguintes pontos fortes:

XP Log FII (XPLG11)

BTG Pactual Logística FII (BTLG11)

Da mesma forma que o XPLG11, o BTLG11 também é um FII vinculado ao setor de logística, que a equipe de análise do BTG Pactual considera beneficiado pela necessidade de distribuição e cláusulas contratuais. O relatório do banco destaca os seguintes pontos fortes:

BTG Pactual Logística FII (BTLG11)

HSI Logística FII (HSLG11)

Assim como os anteriores, o HSLG11 também é um fundo de galpões logísticos, que atua com operações típicas de compra e venda, mas também com operações built-to-suit e sale-leaseback. Esse fundo entra na carteira como um caso de assimetria de mercado, pois as cotas apresentam prêmio de 4% em relação ao valor patrimonial e o dividend yield está acima da média dos fundos de perfil semelhante. O relatório do banco destaca os seguintes pontos fortes:

HSI Logística FII (HSLG11)

FII RBR Properties (RBRP11)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, o RBRP11 é um fundo híbrido, com política de alocação bastante flexível, cujo portfólio é pulverizado e dividido entre quatro nichos principais: ativo de tijolo, cotas de outros fundos imobiliários, ativos em desenvolvimento e caixa.  O relatório do banco destaca os seguintes pontos fortes:

FII RBR Properties (RBRP11)

FII BTG Pactual Corporate Office Fund (BRCR11)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, o setor de lajes corporativas com ativos premium, ao qual o BRCR11 está vinculado, deve ter bom desempenho nos próximos anos, em razão dos baixos níveis de vacância, bem como de lançamentos previstos. O relatório do banco destaca os seguintes pontos fortes:

FII BTG Pactual Corporate Office Fund (BRCR11)

FII Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11)

Da mesma forma que o BRCR11, o RCRB11 é um fundo vinculado ao setor de lajes corporativas com ativos nas principais regiões de negócios de SP e RJ. O seu portfólio conta com 10 empreendimentos e tem grandes empresas, com perfil de baixo risco de crédito, como locatários. O relatório do banco destaca os seguintes pontos fortes:

FII Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11)

CSHG Real Estate FII (HGRE11)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, o BCFF11 é um fundo que investe em ativos imobiliários de perfil corporativo nas principais regiões do Brasil. Ao longo dos últimos meses, ele passou por mudanças, como a venda de ativos que não apresentavam performance alinhada com as expectativas. Essas mudanças devem permitir que o fundo absorva melhor a retomada econômica dos próximos anos. O relatório do banco destaca os seguintes pontos fortes:

CSHG Real Estate FII (HGRE11)

Estes são os ativos da Carteira Recomendada de Fundos Imobiliários do BTG Pactual para Fevereiro de 2021. Acompanhe os conteúdos da Renova Invest para ter acesso às carteiras recomendadas mensais para FIIs.

 

Disclaimer: As informações apresentadas neste artigo são provenientes de relatórios elaborados por terceiros. Esse material tem caráter puramente informativo, e não configura recomendação ou sugestão de investimento