Carteira Recomendada de Ações 10SIM do BTG Pactual – Janeiro/2021

Todos os meses, o BTG Pactual elabora uma série de Carteiras Recomendadas, reunindo sugestões de ativos para o período, a partir das análises financeiras e econômicas de sua equipe especializada. Esta é a Carteira Recomendada de Ações 10SIM do BTG Pactual para Janeiro de 2021.

Visão Geral

A equipe de análise do BTG Pactual considera que as ações dos mercados emergentes nesse novo ano podem ser beneficiadas pelo aumento do apetite por risco nos mercados globais.

Esse apetite cresce devido a perspectivas encorajadoras, como o avanço da vacinação contra Covid-19 e a aprovação de novo pacote de estímulo nos EUA.

Enquanto isso, na atividade econômica brasileira, os analistas destacam uma surpresa positiva, com a recuperação robusta e intensa, especialmente, das vendas no varejo e da produção industrial. Com isso, a previsão do PIB para 2021 vai a +3,5%.

No entanto, a expectativa é de que a redução no pacote de auxílio emergencial combinada ao aumento da inflação possa ter um forte impacto negativo sobre o consumo. A previsão do IPCA para 2021, no momento, está em +3,4%.

Para o mês de Janeiro/2021, o BTG Pactual apresenta uma carteira recomendada de ações 10SIM distribuída da seguinte maneira:

  • Vale (VALE3) – 15%
  • Petrobras (PETR4) – 10%
  • Itaú (ITUB4) – 10%
  • Gerdau (GGBR4) – 10%
  • B3 (B3SA3) – 10%
  • Totvs (TOTS3) – 10%
  • Oi S.A. (OIBR3) – 10%
  • Suzano (SUZB3) – 10%
  • Cyrela (CYRE3) – 10%
  • Aliansce Sonae (ALSO3) – 5%

Em relação à carteira de Dezembro/2020, houve 3 saídas, da Magazine Luiza (MGLU3), Tim (TIMP3) e CCR (CCRO3). Além disso, o peso das ações da Oi S.A. (OIBR3) foi aumentado de 5% para 10%.

Desempenho

Segundo os analistas do BTG Pactual, a Carteira Recomendada de Ações 10SIM de dezembro apresentou desempenho com alta de +9,2%, enquanto o IBOV teve alta de +9,3%.

No ano de 2020, a rentabilidade acumulada pela carteira foi de +2,1%, contra +2,9% do IBOV.

No período desde outubro/2009, a rentabilidade acumulada pela carteira é de +292,3%, contra +93,5% do IBOV.

performance historica ibov

Vale (VALE3)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Vale (VALE3) está em uma posição favorável, pois a oferta e demanda de minério de ferro permanecem forter e os preços já superaram US$ 160/t.

Além disso, a empresa deve permanecer amigável aos acionistas, com uma expectativa de dividend yield de 12% para 2021.

O banco também considera que as ações estão baratas. No entanto, a redução do risco deste investimento deve ocorrer de maneira gradual e dependendo de vários pilares.

Entre esses pilares, está a melhoria da percepção de ESG – Governança Ambiental, Social e Corporativa da empresa, que deve progredir em longo prazo.

Petrobras (PETR4)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Petrobras (PETR4) mantem foco em projetos de alto retorno na área do pré-sal, o que abre caminho para lucros sustentáveis a longo prazo.

Além disso, em vista da curva de petróleo atual, neste ano as ações devem apresentar um atraente FCFE – Free Cash Flow to Equity, fluxo de caixa livre para distribuição aos acionistas.

O banco considera que, com maior flexibilidade na política de dividendos e a dívida bruta já reduzida a US$ 80 bilhões, a empresa pode acelerar os dividendos mais cedo do que o esperado.

Itaú (ITUB4)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, o Itaú (ITUB4) – assim como os demais bancos – é beneficiado pela tendência de alta das taxas de juros de curto prazo. Por isso, faz sentido ganhar exposição a esse setor.

O banco considera que, entre as empresas do setor, o Itaú se destaca por caminhar na direção certa, com decisões acertadas para promover uma transformação de dentro para fora.

Porém, ressalta que os resultados serão vistos com mais clareza se a execução dessas decisões também for bem realizada.

Gerdau (GGBR4)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Gerdau (GGBR4) apresenta forte crescimento da receita, baixa alavancagem, geração de fluxo de caixa livre, pouca exposição cambial e uma tese temática associada ao mercado imobiliário, que tem força estrutural no Brasil.

O banco considera que a empresa está bem posicionada, pela primeira vez em anos, para repassar aumentos de preços.

Além disso, também avalia que ela deve ganhar participação de mercado, devido ao seu forte posicionamento no segmento em expansão de varejo de construção.

B3 (B3SA3)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a B3 (B3SA3) vem apresentando um desempenho inferior ao mercado nos últimos três meses, devido a fatores como a queda no volume de transações na bolsa e o maior risco macro/político do momento.

O banco considera que, após o alto volume de vendas do papel observado recentemente, existe um potencial decente de valorização.

Além disso, acredita que os investidores de varejo continuam aderindo à bolsa, embora com um ritmo mais lento. Os mercados de capitais continuam muito fortes.

E, apesar das questões políticas e relacionadas à pandemia ainda causarem forte volatilidade, as baixas taxas de juros fazem com que o aprofundamento da oferta e sofisticação de serviços financeiros (chamado de “financial deepening”) se prolongue.

Totvs (TOTS3)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Totvs (TOTS3) apresenta um modelo de negócio principal resiliente, pois tem oportunidades interessantes de venda cruzada e opcionalidade na frente da TechFin.

O banco considera que, como as vendas da empresa estão diretamente relacionadas ao desempenho da economia, a recuperação esperada para este ano deve beneficiar as receitas recorrentes.

Além disso, também destaca que a empresa é uma boa opção para proteção ativa contra os efeitos do aumento da inflação, pois tem a receita ajustada pela inflação, em um serviço considerado essencial e de difícil substituição.

Oi S.A. (OIBR3)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Oi S.A. (OIBR3) pode agora ser considerada uma opção de investimento menos arriscada, graças à aprovação do plano revisado da empresa.

Em 14 de dezembro, foi vendida a operação móvel por R$ 16,5 bilhões. O negócio deve ser concluído no final do ano, mediante aprovação da Anatel e do CADE. Com isso, a empresa já captou em leilões o equivalente a 73% do valor que deve ser obtido com a venda de seus ativos.

O banco considera que o próximo passo no processo de recuperação deve ser o leilão de participação na empresa de infraestrutura da Oi, que deve acontecer ainda no primeiro trimestre.

Suzano (SUZB3)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Suzano (SUZB3) foi incluída no porfólio porque as ações devem manter o bom desempenho, devido ao ambiente favorável de preços de commodities.

A expectativa é de que a demanda apresente uma melhora, com o mercado resiliente de papel sanitário e a recuperação do segmento de papel de imprimir e escrever. Enquanto isso, com a prorrogação do projeto MAPA, da Arauco, para o quarto trimestre, não deve haver nenhum aumento relevante da capacidade de produção até o final do ano.

O banco considera que, embora o nível de alavancagem não seja confortável, o caminho para a normalização é claro e a situação é administrável. Além disso, é uma das melhores teses de investimento ESG – Governança Ambiental, Social e Corporativa da América Latina.

Cyrela (CYRE3)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Cyrela (CYRE) apresentou alta de +46% a.a. em lançamentos e de +58% a.a. em vendas no resultado operacional do 3T20, impulsionada pelas taxas de hipoteca, que estão nos níveis mais baixos já registrados.

O banco considera que, apesar da incerteza, a empresa está bem posicionada para aproveitar a recuperação do setor habitacional, pois possui marcas diferentes que atendem a todos os segmentos de renda.

Aliansce Sonae (ALSO3)

De acordo com a equipe de análise do BTG Pactual, a Aliansce Sonae (ALSO3) – bem como outras empresas do setor de administração de shoppings – apresentou uma melhora interessante no desempenho operacional nos últimos meses.

As vendas tiveram ampla recuperação, chegando a 88% do nível pré-pandemia em outubro. A recuperação da arrecadação de alugueis segue quase a mesma linha. Além disso, as taxas de vacância também não aumentaram muito, com uma queda de apenas -130bps no terceiro trimestre de 2020, em relação ao mesmo período de 2019.

O banco considera que, em relação aos seus pares, a empresa tem a menor alavancagem, o que lhe garante um balanço sólido. E, como o preço de negociação da ALSO3 caiu cerca de -40% no ano passado, a ação está extremamente atraente.

Estes são os ativos da Carteira Recomendada de Ações 10SIM do BTG Pactual para Janeiro de 2021. Acompanhe os conteúdos da Renova Invest para ter acesso às carteiras recomendadas mensais para ações.

Disclaimer: As informações apresentadas neste artigo são provenientes de relatórios elaborados por terceiros. Esse material tem caráter puramente informativo, e não configura recomendação ou sugestão de investimento.

Compartilhe:

Deixe uma resposta


whatsapp icon chatbot Renata

Quer fazer seus investimentos renderem mais?

Clique aqui e fale com os nossos Assessores

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.