Renova Invest Facebook

Entenda a ata do Copom novembro/2021

ata do Copom novembro 2021
ata do Copom novembro 2021

No dia 3 de novembro, foi divulgada a ata do Copom novembro/2021. Esse documento traz as perspectivas do Banco Central para a economia e explica a teoria por trás da decisão do Comitê de Política Monetária para a Selic.

Na última reunião do Copom, realizada em 27 de outubro, o Comitê optou por elevar a taxa básica de juros em +1,5 ponto percentual. Com isso, a Selic chega a 7,75% ao ano.

Neste artigo, você entende melhor essa decisão, acompanhando os destaques da análise realizada pela equipe do BTG Pactual sobre a ata do Copom novembro/2021.

Ata do Copom novembro/2021: panoramas internacional e doméstico

De acordo com os analistas do BTG Pactual, a ata do Copom novembro/2021 trouxe um pouco de alento ao mercado, pois esclareceu diversas questões estruturais que ficaram em aberto no comunicado da decisão anunciada em 27/10.

O Comitê levantou preocupações em relação ao panorama internacional. Segundo a ata, esse panorama está se tornando menos favorável, como reflexo do processo inflacionário persistente e das reações que ele desencadeia por parte dos bancos centrais de vários países. Esse cenário está tornando o mercado de capitais de países emergentes menos atrativo.

Em relação ao panorama doméstico, o IPCA recebe especial atenção. O Comitê está cauteloso em relação ao componente inercial do IPCA. A ata ressaltou que a inflação ao consumidor continua elevada e está mais persistente do que o esperado.

Outro aspecto destacado foi a difusão do IPCA. De acordo com o documento, a alta de preços está mais disseminada e abrange componentes mais associados à inflação subjacente.

Quadro fiscal leva a postura hawkish

Segundo os analistas, o balanço realizado na ata do Copom novembro/2021 pende para uma postura hawkish, ou seja, que busca controlar a inflação por meio da elevação da taxa de juros. Essa posição está associada principalmente com a deterioração do quadro fiscal.

Nas últimas semanas, o governo apresentou uma proposta de mudança na metodologia de cálculo da regra do teto de gastos, a fim de financiar benefícios sociais. Com isso, a expectativa de gastos aumentou. As consequências foram crescimento da precificação de risco na curva de juros e agravamento das expectativas de inflação para 2022 e 2023.

Em vista desse contexto, a ata do Copom enfatiza que o órgão busca traçar uma alta dos juros coerente com o objetivo de fazer a inflação convergir para a meta no próximo ano.

O documento também sinalizou que existe, portanto, maior probabilidade de cenários alternativos nos quais a taxa neutra de juros será mais elevada. A taxa neutra é aquela que não promove nem aceleração, nem desaceleração do processo inflacionário.

Consequentemente, o Comitê poderá se voltar a uma política monetária significativamente mais contracionista do que o previsto em seu cenário básico. O contracionismo é a política apoiada na elevação da taxa de juros para contrair a oferta de crédito e a circulação de moeda. Assim, é possível frear a demanda e controlar a escalada de preços.


INVISTA EM AÇÕES COM A PLANILHA DE ANÁLISE FUNDAMENTALISTA Invista em ações


Guidance adequado ao cenário

De acordo com a equipe do BTG Pactual, o guidance apresentado pelo Banco Central, que estima uma alta de +1,5 ponto percentual na reunião de dezembro, está adequado ao cenário atual. Com isso, a Selic deve encerrar 2021 em 9,25%.

Além disso, os analistas também consideram que a ata do Copom novembro/2021 é compatível com uma manutenção do ritmo para a primeira reunião de 2022, prevendo uma alta de +1,25 ponto percentual em janeiro.

Para completar, esperam que o atual ciclo contracionista se encerre com mais uma alta, de +1,0 ponto percentual. Assim, a Selic deve chegar a 11,75% e permanecer nesse patamar até o final de 2022.

Esses foram os principais destaques da análise da equipe do BTG Pactual para a ata do Copom novembro/2021.

 

Continue acompanhando os conteúdos da Renova Invest para entender os principais eventos da economia e do mercado financeiro, além de conhecer novos ativos que podem entrar na sua carteira de investimentos pessoal.

Disclaimer: As informações apresentadas neste artigo são provenientes de relatórios elaborados por terceiros. Esse material tem caráter puramente informativo, e não configura recomendação ou sugestão de investimento.

Veja também

botão de concordância

0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos os comentários

Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.