No dia 24 de fevereiro de 2021, foi apresentado o resultado da SulAmérica (SULA11) para o 4T20 e as equipes de Equity Research da Eleven Financial Research e do BTG Pactual já realizaram a análise dos dados divulgados. Confira os pontos principais.

Resultados fracos em virtude da sazonalidade

De acordo com o relatório do BTG Pactual, o desempenho do SulAmérica (SULA11) foi fraco devido à sazonalidade incomum e desfavorável no período.

Enquanto isso, de acordo com o relatório da Eleven, o desempenho da companhia foi negativo no 4T20, impactado principalmente pelo aumento da sinistralidade em virtude da pandemia.

O destaque do período foi o impacto da alta sinistralidade.

No dia em que o relatório foi publicado, as ações SULA11 estavam sendo negociadas a R$ 36,30. A capitalização de mercado era de R$ 14,45 bilhões. O volume médio dos últimos 12 meses era de R$ 139,20 milhões.

Resultado SulAmérica (SULA11) para o 4T20

Efeito da sazonalidade incomum (e desfavorável)

Após uma série de resultados fortes, a SulAmérica divulgou resultados fracos devido à sazonalidade incomum e desfavorável, conforme o relatório do BTG Pactual.

O trimestre foi afetado por uma sinistralidade maior, refletindo o aumento do número de internações da Covid-19 combinado com a normalização de procedimentos eletivos. A sinistralidade é a relação entre sinistros ocorridos e prêmios ganhos.

Além disso, o resultado foi impactado por efeitos não recorrentes em: i) despesas gerais e administrativas (G&A); ii) maiores provisões para devedores duvidosos (PDDs); e iii) resultados financeiros mais fracos.

No que se refere aos resultados, a receita líquida foi de R$ 5,25 bilhões (alta de +6,6% na comparação de base anual). Por sua vez, o ROE recorrente da companhia atingiu 12% nos últimos 12 meses.

Alta da sinistralidade traz trimestre fraco

De acordo com a Eleven, a sinistralidade da carteira de saúde e odonto impactou significativamente o resultado do 4T20, ficando em 80,2%.

Diferentemente do seu padrão histórico, a sinistralidade no período apresentou um aumento (de 5,8 p.p. na comparação de base anual) em virtude da retomada dos procedimentos eletivos e aumento do número de casos de Covid-19 a partir da segunda quinzena de novembro.

Investir em empresas estrangeiras não precisa ser difícil!

Baixe nosso e-book e saiba como ser sócio das gigantes internacionais: Amazon, Google, Apple, Facebook, entre outras!




Entretanto, excluindo os efeitos negativos da Covid-19, a sinistralidade consolidada da companhia totalizou 76,9% em 2020 (contra 78,9% em 2019) em virtude da suspensão dos procedimentos eletivos na segunda metade do ano.

Na comparação de base anual, a menor sinistralidade em 2020 beneficiou a margem bruta operacional (+18,2%) e o crescimento do EBITDA ajustado (+35,3%). Entretanto, o lucro líquido das operações continuadas teve uma redução (-23%) devido a um pior resultado financeiro.

Impacto de eventos não recorrentes

Conforme o relatório do BTG Pactual, o trimestre também foi impactado por efeitos não recorrentes.

Houve uma PDDs adicional de R$ 33 milhões em virtude de uma abordagem mais conservadora em resposta à pandemia. Além disso, o resultado financeiro da companhia foi fraco (queda de -73%) em virtude da queda da taxa Selic com marcação a mercado pontual de títulos públicos, pressionou o lucro líquido do ano.

No que se refere às despesas G&A, a empresa destacou: i) R$ 37 milhões devido à reversão positiva de despesas não tributárias em 2019; ii) R$ 21 milhões referentes ao acordo de transação com a Allianz; iii) R$ 14 milhões referentes às despesas com publicidade; e iv) R$ 14 milhões relacionados a demandas trabalhista de anos anteriores.

Apesar do fraco resultado, o ano de 2020 foi notável

Apesar do resultado trimestral fraco, a SulAmérica teve um bom desempenho em 2020. Além da redução recorde de sinistralidade no ano, houve uma expansão notável de suas iniciativas digitais e de corte de custos.

Mesmo diante de um cenário desafiador, houve um crescimento de vidas no ano, adicionando 41 mil vidas no segmento de saúde e 7 mil vidas no dental, de acordo com a Eleven.

Por sua vez, a conclusão da aquisição da Paraná Clínicas em setembro de 2020 foi responsável por adicionar mais de 90 mil vidas de saúde no ano. Com isso, encerrou o ano de 2020 com 2,4 milhões de beneficiários de saúde e 1,8 milhão de beneficiários odontológicos.

A companhia reportou prêmios em linha com as estimativas no 4T20 em saúde (alta de +7% na comparação de base anual), implicando em um crescimento orgânico e favorável da base de beneficiários (em +22 mil em relação ao 3T20) acima de seus pares de seguros de saúde, como PSSA (+7 mil) e BBDC (-6 mil), segundo o BTG Pactual.

Além disso, a fim de controlar a sinistralidade e melhorar os atendimentos dos pacientes, a SulAmérica tem investido na estratégia de Cuidado Coordenado, que visa o maior uso da tecnologia e da telemedicina,

Desde o início da pandemia, a companhia realizou mais de 600 mil consultas virtuais, firmou parcerias com outros players de saúde e adquiriu a healthtech DocWay, que reportou crescimento de +681% na sua receita líquida.

Por fim, vale destacar o esforço comercial que conseguiu obter crescimento em todas as carteiras de saúde (exceto dos planos individuais), refletindo no ganho de market share, que teve alta de +1,2%, e também no odontológico, de +4,7% (comparações de base anual).

Perspectivas para SulAmérica em 2021

De acordo com a Eleven, o ano de 2021 ainda será um ano incomum e desafiador para a SulAmérica.

O primeiro trimestre do ano deve registrar uma segunda onda da pandemia, mais forte do que a anterior. Entretanto, há uma diferença: os procedimentos eletivos não foram cancelados pela ANS até o momento e as pessoas estão retomando suas rotinas gradualmente, o que pressiona a sinistralidade da companhia no curto prazo.

Excluindo o efeito atípico da pandemia, a companhia realizou um bom trabalho durante o ano de 2020 e segue no rumo correto, segundo a Eleven. A estratégia do cuidado coordenado, o foco nos serviços de saúde e odonto, e o avanço em processos digitais garantem a perenidade do negócio.

Resultado SulAmérica (SULA11) para o 4T20

EBITDA tem queda de -94%

Conforme informa o relatório de resultado trimestral da SulAmérica, o EBITDA da companhia ficou em R$ 27,1 milhões no 4T20. O número revela queda de -94% em relação ao 4T19. Esse resultado considera apenas as operações continuadas, excluindo os segmentos de automóveis e massificados.

Lucro Líquido impactado por sinistralidade

Conforme o relatório do BTG Pactual, o lucro líquido da SulAmérica foi de R$ 42 milhões no 4T20. Esse resultado representa queda de -90% na comparação de base anual, impactado sobretudo pela sinistralidade.

Resultado Sul América (SULA11) para o 4T20

Resultado SulAmérica (SULA11) para o 4T20: Recomendações

Recomendação do BTG Pactual

A equipe de análise do BTG Pactual considera que  a SulAmérica (SULA11) tem sólidos fundamentos de crescimento da indústria e um valuation atraente (P/L 2021 em 17x e 1,6x P/BV). Apesar de um momentum desafiador, a companhia continua sendo um bom nome para enfrentar essa onda de crescimento assim que a normalidade voltar.

Assim, estabelece recomendação de compra, com preço-alvo em R$ 53,00.

Recomendação da Eleven Financial Research

A equipe de análise da Eleven considera que a SulAmérica (SULA11) terá um primeiro semestre ainda desafiador em 2021. Entretanto, segue construtiva com a evolução da companhia no médio e longo prazos.

Assim, estabelece recomendação de compra, com preço-alvo em R$ 44,00.

 

Esta foi nossa apresentação da análise das equipes de Equity Research da Eleven Financial Research e do BTG Pactual sobre o resultado da SulAmérica (SULA11) para o 4T20. Acompanhe os conteúdos da Renova Invest para ter acesso a todas as análises de resultados trimestrais.

Disclaimer: As informações apresentadas neste artigo são provenientes de relatórios elaborados por terceiros. Esse material tem caráter puramente informativo, e não configura recomendação ou sugestão de investimento.