Santander Brasil (SAMB11)
Santander Brasil (SAMB11)

Análise Completa: Resultado Santander (SANB11) para o 1T21

No dia 28 de abril de 2021, foi apresentado o resultado Santander (SANB11) para o 1T21 e a equipe de Equity Research do BTG Pactual já realizou a análise dos dados divulgados. Confira os pontos principais.

Forte margem financeira com clientes

De acordo com o relatório do BTG Pactual, o Santander (SANB11) reportou um conjunto de resultados sólidos no 1T21, com forte margem financeira com clientes e baixas inadimplências no período.

O destaque do período foi a margem financeira.

No dia em que o relatório foi publicado, as ações SANB11 estavam sendo negociadas a R$ 37,60. A capitalização de mercado era de R$ 141,20 bilhões. O volume médio dos últimos 12 meses era de R$114,53 milhões.

Resultado Santander (SANB11) para o 1T21

Margem financeira impulsionada por maiores volumes

Conforme o relatório do BTG Pactual, a NII (margem financeira) do Santander aumentou no 1T21 em virtude de maiores volumes de cheque especial e linhas rotativas e a tesouraria.

Os resultados em tesouraria mais uma vez surpreenderam, ficando R$ 400 milhões acima das estimativas da equipe do BTG Pactual.

Os empréstimos cresceram +3% e +12%, respectivamente, nas comparações de base trimestral e anual. Esse crescimento foi liderado por pessoas físicas e grandes empresas.

A NII de clientes da companhia aumentou no período, beneficiando-se de maiores volumes e do mix. O aumento registrado no período foi de +6% e +4%, respectivamente, nas comparações trimestral e anual.

Enquanto isso, os volumes de cheque especial e linhas rotativas superaram expectativas, impulsionando o NIM (spread).

Essa tendência é diferente do observado com seus pares, que têm indicado volumes menores para as linhas de emergência no trimestre.

Nesse sentido, embora a NII mais forte do que o esperado no trimestre pareça não recorrente, o Santander tem superado consistentemente seus pares. Ao reduzir sua exposição a linhas de crédito mais arriscadas, provou estar certo.

Receita de Serviços e GetNet superam estimativas

De acordo com o BTG Pactual, a receita de Serviços do Santander foi um pouco melhor no 1T21.

Apesar das condições macro, a NII das atividades de mercado surpreendeu positivamente e atingiu R$ 2,12 milhões no período. Esse resultado representa alta de +21% e +17%, respectivamente, nas comparações de base trimestral e anual.

Enquanto isso, apesar da receita de serviços cair -5,5% em relação ao 4T20, o resultado ficou acima das estimativas da equipe.

Esse resultado acima do esperado é reflexo do melhor desempenho em cartões de crédito, da gestão de ativos e dos serviços de consultoria financeira.

Por sua vez, a GetNet entregou lucro líquido de R$ 110 milhões no período, com o TPV (volume total de pagamentos) crescendo +47% na comparação de base anual. Em 2020, o faturamento da GetNet em 2020 foi de quase R$ 360 milhões.

Inadimplências permanecem em baixos patamares

Conforme o informa o BTG Pactual, as inadimplências do Santander permanecem surpreendentemente baixas no 1T21.

O índice de inadimplência acima de 90 dias ficou estável na comparação trimestral, permanecendo em torno de 2%. Por sua vez, a inadimplência entre 15 e 90 dias aumentou +80 bps e ficou em 3,6% no período.

Isso significa que as inadimplências permanecem em um nível baixo, abaixo dos números observados em 2020 e dos níveis históricos.

Os empréstimos diferidos atingiram R$ 36,4 bilhões, o que corresponde a 9% da carteira total. Isso representa uma amortização de R$ 13,4 bilhões desde o segundo trimestre de 2020.

As provisões para perdas com empréstimos no 1T21 foram de R$ 3,46 bilhões, alta de +15% na comparação trimestral e queda de -3% na comparação anual.

Devido ao índice de inadimplência ainda muito baixo, o índice de cobertura da companhia se manteve em níveis historicamente elevados.

Por fim, o Capital Principal teve queda de -20 bps na comparação de base trimestral, ficando em 12,6% no período.

Resultado Santander (SANB11) para o 1T21

LAIR cresce em relação ao trimestre anterior

Conforme informa o BTG Pactual, o LAIR do Santander no 1T21 ficou em R$ 6,44 bilhões contra R$ 5,75 bilhões reportados no 4T20.

Lucro Líquido supera estimativas de analistas

Conforme o relatório do BTG Pactual, o lucro líquido ajustado do Santander no 1T21 foi de R$ 4,01 bilhões. Esse resultado representa alta de +1,4% e +4,1%, respectivamente, nas comparações de base trimestral e anual.

Dessa forma, superou as estimativas da equipe e do consenso em 6% e 9%, respectivamente. Enquanto isso, o ROE da companhia atingiu 20% em um cenário macro ainda desafiador.

Resultado Santander (SANB11) para o 1T21

Resultado Santander (SANB11) para o 1T21

Resultado Santander (SANB11) para o 1T21: Recomendações

Recomendação do BTG Pactual

A equipe de análise do BTG Pactual considera que o Santander (SANB11) tem superado consistentemente seus pares. Apesar das ações terem caído no acumulado do ano, a equipe espera uma recuperação nas próximas semanas se os pares também apresentarem bons resultados.

Por ora, estabelece recomendação neutra, com preço-alvo em R$ 48,00.

 

Esta foi nossa apresentação da análise da equipe de Equity Research do BTG Pactual sobre o resultado Santander (SANB11) para o 1T21. Acompanhe os conteúdos da Renova Invest para ter acesso a todas as análises de resultados trimestrais.

Disclaimer: As informações apresentadas neste artigo são provenientes de relatórios elaborados por terceiros. Esse material tem caráter puramente informativo, e não configura recomendação ou sugestão de investimento.

Compartilhe:

Deixe uma resposta


Utilizamos cookies que melhoram a sua experiência em nosso site. Todos seguem as regras da nossa Politica de Privacidade. Clicando em "OK" você concorda com a nossa política.