No dia 06 de maio de 2021, foi apresentado o resultado Lojas Americanas (LAME4) 1T21 e as equipes de Equity Research da Eleven Financial Research e do BTG Pactual já realizaram a análise dos dados divulgados. Confira os pontos principais.

Lojas Americanas traz resultados fracos no trimestre

De acordo com o relatório do BTG Pactual, a Lojas Americanas (LAME4) apresentou resultados operacionais sem surpresas no trimestre, ainda impactada pelos efeitos da pandemia.

Enquanto isso, de acordo com o relatório da Eleven, a companhia apresentou crescimento em linha com o esperado pela equipe no período, mas com margens pressionadas.

O destaque do período foi o impulso das iniciativas digitais.

No dia em que o relatório foi publicado, as ações LAME4 estavam sendo negociadas a R$ 20,50. A capitalização de mercado era de R$ 37,83 bilhões. O volume médio dos últimos 12 meses era de R$ 294,77 milhões.

Resultado Lojas Americanas (LAME4) 1T21

Vendas em lojas físicas seguem pressionadas

Conforme informa o relatório do BTG Pactual, a Lojas Americanas apresentou vendas em lojas físicas (controladoras) pressionadas devido às restrições impostas pela pandemia.

Cerca de 27% de sua área de lojas ficou fechada no trimestre. No mês de março, atingiu 43%. Como efeito, o SSS (vendas nas mesmas lojas) da controladora caiu -0,8%. Em shoppings houve queda de -13,4%, enquanto nas lojas de rua teve alta de +6,8%.

Por outro lado, segundo a Eleven, analisando os resultados na visão da controladora, observa-se a continuidade da estratégia de adaptação de mix ao atual momento. Essa estratégia tem como foco produtos essenciais e grande relevância das iniciativas O2O (Online-to-Offline).

Iniciativas digitais impulsiona resultados

De acordo com a Eleven, a Lojas Americanas apresentou resultados impulsionados sobretudo pelo crescimento de iniciativas digitais no 1T21.

As iniciativas O2O tiveram importante papel no período, assim como o e-commerce da B2W de modo geral. O avanço dessas iniciativas foram fundamentais para sustentar as vendas no momento mais desafiador.

A equipe pontua que esse avanço novamente permitiu que, apesar das restrições nas lojas físicas por causa da pandemia, as vendas da controladora permanecessem estáveis na comparação de base anual.

No trimestre, as iniciativas O2O foram responsáveis por gerar R$ 1 bilhão de GMV (volume bruto de mercadorias). Esse resultado representa alta de +90,2% na comparação anual. Cabe destacar que o GMV é uma métrica que calcula o volume bruto de mercadoria em plataformas digitais.

Em uma visão consolidada, o GMV teve crescimento de +51,1%. Por fim, a receita líquida consolidada totalizou R$ 4,05 bilhões. Esse resultado representa crescimento de +29% na comparação de base anual.

Apesar do forte crescimento, em virtude de uma maior participação das vendas digitais no mix, a margem bruta teve queda de -2,5 p.p. no período. Por outro lado, a margem EBITDA permaneceu estável, em virtude da gestão austera de despesas pela companhia.

Resultado Lojas Americanas (LAME4) 1T21

EBITDA fica estável no trimestre

Conforme informa o BTG Pactual, o EBITDA da Lojas Americanas no 1T21 ficou em R$ 499 milhões. O número revela estabilidade na comparação de base anual.

Reversão do Lucro Líquido

Conforme o relatório do BTG Pactual, o prejuízo líquido da Lojas Americanas foi de R$ 163 milhões contra R$ 49 milhões no 4T20. Ainda, esse resultado líquido representa reversão do lucro líquido de R$ 400 milhões reportado no 4T20.

Cabe destacar que as despesas financeiras caíram -15% no trimestre, em função do caixa líquido após o follow-on de julho do ano passado e da redução da taxa Selic.

Apesar disso, segundo a Eleven, o resultado líquido foi pressionado tanto pela desalavancagem operacional quanto pela linha de equivalência patrimonial chegando a R$ 169 milhões.

Essa equivalência patrimonial está associada ao resultado da B2W e da Ame Digital, da qual a Lojas Americanas detém uma participação de 57%.

Resultado Lojas Americanas (LAME4) 1T21

Resultado Lojas Americanas (LAME4) 1T21: Recomendações

Recomendação do BTG Pactual

A equipe de análise do BTG Pactual considera que a Lojas Americanas (LAME4), embora tenha reportado um resultado mais fraco no trimestre, deve registrar uma recuperação gradual nos próximos meses.

Enquanto isso, a incorporação dos ativos da companhia pela B2W, criando uma plataforma verdadeiramente multicanal, indica que a LAME deve negociar mais perto de sua investida, a Americanas SA.

Assim, estabelece recomendação de compra, com preço-alvo em R$ 38,00.

Recomendação da Eleven Financial Research

A equipe de análise da Eleven considera que a Lojas Americanas (LAME4) teve as margens pressionadas no trimestre por causa da maior participação do e-commerce. Além disso, contou com políticas de incentivo de compras pelo canal digital.

Ainda assim, as iniciativas O2O tiveram importante papel no período e reforçam o viés positivo da equipe para a companhia, que deverá ser ainda mais beneficiada pela fusão de LAME4 e BTOW3.

Assim, estabelece recomendação compra, com preço-alvo em R$ 36,00.

 

Esta foi nossa apresentação da análise das equipes de Equity Research da Eleven Financial Research e do BTG Pactual sobre o resultado Lojas Americanas (LAME4) 1T21. Acompanhe os conteúdos da Renova Invest para ter acesso a todas as análises de resultados trimestrais.

Disclaimer: As informações apresentadas neste artigo são provenientes de relatórios elaborados por terceiros. Esse material tem caráter puramente informativo, e não configura recomendação ou sugestão de investimento.