No dia 26 de janeiro de 2021, foi apresentado o resultado da Cielo (CIEL3) para o 4T20 e as equipes de Equity Research da Eleven Financial Research e do BTG Pactual já realizaram a análise dos dados divulgados. Confira os pontos principais.

Cielo (CIEL3) obtém resultados acima do esperado

Segundo os relatórios do BTG Pactual e da Eleven Financial Research, o desempenho da Cielo superou as estimativas de diversos analistas.

Os destaques são melhoria sequencial de lucro da companhia e também melhorias nos gastos.

No dia em que o relatório foi publicado, as ações (CIEL3) estavam sendo negociadas a R$ 3,67. A capitalização de mercado era de R$ 9,93 bilhões. O volume médio dos últimos 12 meses era de R$ 179,11 milhões.

Cielo (CIEL3) apresenta melhorias de gastos

De acordo com o BTG Pactual, o custo do produto vendido (CPV) e as despesas de Vendas, Gerais e Administrativas (SG&A) apresentaram melhorias.

O CPV e a despesa SG&A da Cielo Brasil continuaram melhorando, crescendo apenas +2,5% e +2,7%, respectivamente, bem abaixo do crescimento da receita, o que levou a um lucro melhor do que o esperado.

Apesar do CPV e da despesa SG&A terem sido os vilões dos últimos trimestres, a Cateno conseguiu obter um sólido controle destes, caindo -13% e -59% sequencialmente.

Recuperação de volume e menos despesas

De acordo com o BTG Pactual, o volume total de pagamentos (TPV) cresceu +15% em relação ao trimestre anterior e ficou praticamente estável na comparação anual. Por esta razão, a receita bruta esteve alinhada com suas projeções, com alta de +5,5% e +1,6% nas comparações de base trimestral e anual, respectivamente.

Segundo a Eleven Financial Research, a companhia teve um forte volume financeiro transacionado (TPV) de +15% e +0,3% nas comparações de base trimestral e anual, respectivamente, impulsionado tanto pelo crescimento do débito +16% quanto do crédito de +14% na comparação de base trimestral, em razão do componente sazonal da black friday e do natal.

Impulsionado pela recuperação de volumes e redução de gastos, o lucro da Cielo Brasil cresceu tanto na comparação trimestral quanto anual (de +64,4% e +81,7%, respectivamente).

Na comparação trimestral houve uma melhora significativa dos números da Cateno, sobretudo pela recuperação do volume e da redução de despesas operacionais, bem como o ressarcimento de gastos referentes ao arranjo Ourocard.

Resultado das subsidiárias da Cielo (CIEL3)

De acordo com o BTG Pactual, houve uma recuperação do TPV da Cateno, com alta de +20,5% e +8,4% na comparação de base trimestral e anual, respectivamente. Por esta razão, bem como as melhorias de CPV e despesas SG&A, a receita líquida melhorou.

A subsidiária de adquirência Cielo Brasil foi o principal destaque positivo. O rendimento de sua receita manteve uma tendência de queda, mas as receitas não relacionadas ao TPV foram diluídas pelo TPV sazonalmente maior no 4T.

Outras subsidiárias da Cielo, como a M4U e Me-S, registraram um prejuízo líquido -R$ 45 milhões, resultado melhor do que os -R$ 73 milhões obtidos no 3T20, ajustados em virtude de um benefício fiscal de +R$ 18 milhões do governo estadunidense e da valorização do Real (R$) frente ao Dólar (US$).

De acordo com a Eleven Financial Research, as subsidiárias internacionais continuam impactando negativamente o resultado consolidado da empresa.

Perspectivas para Cielo (CIEL3) em 2021

Segundo o BTG Pactual, o ano de 2020 foi desafiador. Porém, a obtenção de números melhores do que o esperado no 2S20, o acordo para entrar em operação com o WhatsApp Pay ainda no 1T21, uma economia melhor e uma possível solução para o imbróglio do controlador devem significar um melhor cenário para a empresa.

EBITDA tem alta de +48%

De acordo com o BTG Pactual, o EBITDA consolidado da Cielo atingiu +R$ 850 milhões, alta de +48% na comparação de base trimestral e +30% acima de sua projeção (ainda caindo -8% na comparação de base anual). O benefício fiscal concedido pelo governo estadunidense contribuiu para a obtenção desse resultado.

O índice de alavancagem aumentou para 1,86x contra 1,08x no 3T.

Lucro Líquido supera estimativas em quase +50%

De acordo com os relatórios do BTG Pactual e da Eleven Financial Research, a Cielo apresentou um lucro líquido de +R$ 298 milhões, quase +50% acima do consenso, um aumento de +197% e +35% nas comparações de base trimestral e anual, respectivamente.

O lucro da Cielo Brasil, principal destaque do período, cresceu tanto na comparação trimestral quanto anual (de +64,4% e +81,7%, respectivamente), impulsionado pela recuperação de volumes e redução de gastos.

Apesar das receitas continuarem pouco inspiradoras, nota-se melhorias no CPV e despesas SG&A, e por esta razão superou as estimativas de diversos analistas.

Há uma melhora sequencial de lucro da companhia, sugerindo uma reversão de tendência para a queda verificada nos últimos anos, o que indica uma potencial melhora de rentabilidade.

Resultado Cielo (CIEL3) para o 4T20: Recomendações

Recomendação do BTG Pactual

A equipe de análise do BTG Pactual destaca que o resultado da Cielo (CIEL3) no 4T20 deve ser bem recebido pelos investidores e adiciona um risco de alta para suas estimativas e do consenso em 2021. Entretanto, sugere cautela com a Cielo em função de sua atual estrutura acionária.

Por esta razão, permanece neutra, com preço-alvo em R$5,00.

Recomendação da Eleven Financial Research

A equipe de análise da Eleven destaca que a Cielo (CIEL3) teve uma melhora sequencial do lucro, sinalizando uma reversão da tendência de queda verificada nos últimos anos, apontando uma potencial rentabilidade. Entretanto, há alguns desafios estruturais em curso para a Cielo seguir rumo às transformações no mercado de meio de pagamentos.

Por ora, estabelece-se recomendação de compra e o preço-alvo está sob revisão.

 

Esta foi nossa apresentação da análise das equipes de Equity Research da Eleven Financial Research e do BTG Pactual sobre o resultado Cielo (CIEL3) para o 4T20. Acompanhe os conteúdos da Renova Invest para ter acesso a todas as análises de resultados trimestrais.

Disclaimer: As informações apresentadas neste artigo são provenientes de relatórios elaborados por terceiros. Esse material tem caráter puramente informativo, e não configura recomendação ou sugestão de investimento.

Investir em empresas estrangeiras não precisa ser difícil!

Baixe nosso e-book e saiba como ser sócio das gigantes internacionais: Amazon, Google, Apple, Facebook, entre outras!