Horário das 8:30-19:00
atendimento@renovainvest.com.br
11-3192-3882

Single Blog Title

This is a single blog caption

ETF: Conheça o fundo de índice SMAL11

//
Posted By
/
Comentário0
/
Categories

O SMAL11 é um dos diversos ETFs disponíveis no mercado financeiro brasileiro. E que pode ser interessante para muitos investidores – especialmente para aqueles que desejam investir nas chamadas Small Caps.

Um dos maiores atrativos desse fundo de índice está no fato de que ele pode oferecer um rendimento melhor na comparação com outros ETFs que espelham o índice Ibovespa.  O motivo está no fato desse fundo de índice estar ligado ao índice das Small Caps na bolsa.

Quer saber mais sobre o SMAL11? Então continue a leitura do artigo para conhecer as principais características desse ETF e descobrir se ele é adequado às suas necessidades!

O que é o SMAL11?

O SMAL11 é um ETF (Exchange Traded Funds), também conhecido como fundo de índice. Trata-se de uma modalidade de investimento coletivo cujo objetivo é obter um desempenho o mais próximo possível do seu benchmark. Logo, procuram compor uma carteira semelhante ao índice de referência utilizado.

Assim, o SMAL11 é um ETF negociado na bolsa de valores que visa replicar o desempenho da carteira teórica de Small Caps que compõe o índice Small Cap (SMLL). E sua performance, portanto, acompanha o desempenho deste índice de referência.

Se você ainda não está familiarizado com o termo, vale a pena explicar o que são as Small Caps da bolsa de valores. As Small Caps são ações de empresas negociadas na bolsa cujo valor de mercado é mais baixo na comparação com outras companhias maiores.

Estes papéis também costumam apresentar liquidez menor se comparada com os ativos de grandes companhias – e podem oferecer um risco maior. Apesar disso, elas têm um atrativo interessante: podem oferecer ao investidor um alto potencial de valorização ao longo do tempo.

O SMAL11 foi criado, portanto, para oferecer aos investidores mais uma alternativa no mercado para se expor a essas ações e aproveitar as oportunidades que as Small Caps podem proporcionar. Especialmente no longo prazo.

Quais as características do SMAL11?

O nome oficial deste ETF é IShares Small Cap Fundo de Índice. Ele é negociado no mercado sob o ticker SMAL11. Foi criado em 2008 e o gestor do fundo é a BlackRock do Brasil. A administração fica a cargo do Banco BNP Paribas.

As ações que compõem a carteira do SMAL11 seguem, basicamente, dois critérios:

  • a carteira precisa englobar o conjunto de empresas small caps que representam, em conjunto, 15% da soma dos valores de capitalização de todas as organizações listadas na B3;
  • os ativos da carteira teórica precisam ter sido negociados todos os dias que houve pregão nos últimos 12 meses.

Além disso, as regras desse ETF aduzem que o fundo deve investir no mínimo 95% do seu patrimônio em ações do SMLL. Os outros 5% restantes podem ser alocados em outros ativos que não precisam estar incluídos no benchmark.

Vale destacar também que, uma vez que o ETF espelha a composição da carteira do seu índice de referência – o SMLL, a composição da carteira deste fundo de índice costuma sofrer alterações a cada quatro meses.

Entre as ações que, normalmente, fazem parte da carteira teórica do SMLL – e, consequentemente, do portfólio do SMAL11 – estão Via Varejo (VVAR3), Smiles (SMLS3), Minerva (BEEF3) e Trisul (TRIS3).

Taxa de administração e IR

A taxa de administração do fundo, de acordo com o prospecto, é de 0,50% ao ano. Em relação aos custos, é importante que o investidor tenha em mente também que os ETFs não possuem isenção de Imposto de Renda.

Assim, a alíquota de imposto que incide sobre o fundo de índice SMAL11 é de 15%, sempre sobre a rentabilidade obtida pelo fundo.

Quais as vantagens de investir no SMAL11?

Investir no SMAL11 oferecer ao investidor as mesmas vantagens de investir em outros ETFs. Confira algumas delas abaixo:

Diversificação da carteira

Quem investe nesse ETF está, na verdade, se expondo a uma carteira composta por ações de diversas companhias. Logo, comprar cotas do SMAL11 pode ser uma maneira mais simples de diversificar a carteira e diluir os riscos.

Praticidade

Investir em ETFs não exige um nível de conhecimento avançado em análise de papéis. Por esse motivo, esta pode ser alternativa para investidores de perfil moderado e arrojado que ainda não se sentem confiantes em comprar ações individualmente.

Previsibilidade

É quase impossível falarmos em previsibilidade em se tratando do mercado de ações. Contudo, por se tratar de um fundo de índice que espelha um indicador, investir em SMAL11 permite que o investidor enxergue melhor os riscos aos quais está exposto.

Afinal, o gestor profissional do fundo, neste caso, realiza uma gestão passiva da carteira. Assim, os investidores não terão grandes surpresas relacionadas às oscilações. A movimentação – para cima ou para baixo – do SMAL11 estará sempre alinhada com as variações do seu benchmark.

Baixo custo

Investir em ETFs, de forma geral, pode ser mais econômico do que investir em outros tipos de fundos de investimentos. Isso porque a taxa de administração costuma ser menor nesta modalidade.

Além disso, não há cobrança de taxa de performance – comum em outros tipos de fundos, como os fundos de ações.

Quais as desvantagens de investir neste ETF?

Apesar dos diversos benefícios, há algumas desvantagens que precisam ser consideradas pelo investidor antes de investir no fundo de índice SMAL11. São elas:

Ausência de análise fundamentalista

Como você já sabe, a carteira do SMAL11 é composta por critérios quantitativos. Aspectos qualitativos, referentes à qualidade da gestão da companhia, histórico, etc, portanto, não são avaliados.

Essa ausência de análise de fundamentos pode incomodar alguns investidores. Especialmente em se tratando de Small Caps.

Impossibilidade de escolher os ativos

Investidores que desejam compor sua carteira de ações por conta própria podem não se sentir confortáveis com os ETFs. Afinal, esta modalidade de investimento não oferece autonomia de escolha dos ativos – nem ao gestor e nem ao investidor.

Exposição a maiores riscos

O SMAL11 pode ser considerado um investimento de risco. Isso porque esta é uma modalidade de investimento que faz parte da renda variável. A composição da carteira em ações Small Caps também pode desagradar aqueles que preferem se expor a empresas mais consolidadas.

Portanto, é fundamental considerar os riscos antes de investir.

Investir em SMAL11 vale a pena?

Investir em SMALL11 pode ser interessante para investidores iniciantes com maior tolerância a riscos. Além disso, costuma fazer sentido também para quem deseja se expor às Small Caps, mas não têm conhecimento, tempo ou paciência para avaliar empresas e escolher papéis para comprar.

que desejam começar seus investimentos na Bolsa de Valores. Também pode ser interessante para aqueles que querem investir em ações mas não tem tempo ou paciência para analisar as empresas e comprar os papéis um a um.

Para avaliar se o SMAL11 e outros ETFs negociados na bolsa valem a pena para você, no entanto, é essencial conhecer seus objetivos e seu perfil de investidor. Somente dessa forma você saberá se essa modalidade faz sentido ou não para o seu caso.

Como investir no SMAL11?

Investir em SMAL11 faz sentido para você? Então o primeiro passo é abrir uma conta em um banco de investimentos de confiança e fazer seu aporte.

A aquisição de cotas é realizada por meio da plataforma do banco. Na plataforma, basta buscar pelo ticker SMAL11, escolher a quantidade de cotas que deseja adquirir e concluir a operação.

Mas, se você deseja saber mais sobre este fundo de índice ou conhecer outras alternativas em ETFs disponíveis no mercado brasileiro, entre em contato conosco!

Se interessou por essa modalidade de investimentos, mas tem dúvidas sobre o assunto? Então e tire suas dúvidas!

Leave a Reply

[name=SIGNUP_SUBMIT_BUTTON]
[name=SIGNUP_SUBMIT_BUTTON]
[name="SIGNUP_FORM_LABEL"]
[name="SIGNUP_FORM_LABEL"]
[name='SIGNUP_BODY']
[name='SIGNUP_BODY']